Ore pela paz de Jerusalém – informe de 16 a 30.04.2012

DEUS tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o Seu rosto sobre nós (Selá). Para que se conheça na Terra o Teu caminho, e entre todas as nações a Tua salvação. Louvem-Te a Ti, ó DEUS, os povos; louvem-Te os povos todos. Alegrem-se e regozijem-se as nações, pois julgarás os povos com eqüidade, e governarás as nações sobre a Terra (Selá). Louvem-Te a Ti, ó DEUS, os povos; louvem-Te os povos todos. Então a Terra dará o seu fruto; e DEUS, o nosso DEUS, nos abençoará. DEUS nos abençoará, e todas as extremidades da Terra O temerão” (Salmo 67)
Portanto Hebrom ficou sendo herança de Calev, filho de Jefoné o quenezeu, até o dia de hojeporquanto perseverara em seguir ao SENHOR ELOHEI Israel” (Josué 14.14)
Às vésperas de Pêssach, Ehud Barak, o ministro da Defesa israelense aprovou a expulsão violenta das famílias do lar Machpelah, em Chevron, apesar dos apelos de Netanyahu, a fim de que os fatos legais fossem apurados. Essa casa foi COMPRADA por judeus, há alguns anos, de árabes (isso não seria problema em nenhuma parte do mundo, mas em Israel, pela pressão internacional, isso é um transtorno – caso para debate governamental e intervenção do exército…).Chevron, juntamente com Tiberíades, Tsfat e Jerusalém, é um centro religioso para os judeus, porque ali estão enterrados os patriarcas de Israel (Avraham e Sarah, Itschaq e Rivkah, Yaacov e Leah). De acordo com a tradição judaica, Adam e Chavah teriam sido enterrados ali! Por sete anos, David reinou a partir de Chevron.Por causa da importância do local para os judeus, assim como em Jerusalém, sempre houve judeus em Chevron.Em 1929, em resposta à provocação e incitação do grão mufti de Jerusalém, os árabes de Chevron que, por décadas, viveram em paz com seus vizinhos judeus, massacraram-nos, violentaram-nos e mutilaram-nos, resultando na morte de77 deles. Os sobreviventes tiveram que deixar suas propriedades, por ordenança do governo do Mandato Britânico vigente, realocados em outras áreas. Só puderam ter contato com suas propriedades após a conquista de Chevron, em 1967. A comunidade judaica em Chevron só pôde ser estabelecida no ano seguinte, às vésperas de Pêssach. E sofre contínua pressão internacional por causa do ‘maligno e satânico desejo dos muçulmanos de tomarem as terras de Israel como possessão sua’.Árabes, hoje, por incitação de seus líderes políticos e religiosos, saem às ruas de Israel decididos a matar alguns ‘infiéis’ judeus… isso é satanás dirigindo tais pessoas…A comunidade judaica em Chevron tem PERSEVERADO contra todos os ataques (físicos, emocionais, espirituais) e mantido a possessão da terra de seus antepassados e deles mesmos, a terra que o SENHOR declarou em Sua Palavra pertencer aos filhos de Calev (da tribo de Yehudah), até os dias de hoje!
Para que um judeu compre uma propriedade em Judéia, Samaria e Jerusalém de um árabe é um parto! A negociação é feita em segredo e, antes que a venda se torne pública, o vendedor já deverá ter se mudado para outro país com sua família, para não ser punido pelos vizinhos e pelas leis dos árabes que vivem em Israel (pena de morte). Então, quando a transação se torna pública e a família judaica que comprou vai tomar posse, vem um outro árabe publicamente reclamar o direito à propriedade e lançando dúvida no direito à posse pelos judeus (isso tem acontecido muito nas três regiões acima citadas).
No caso em questão, o governo deu alguns dias aos moradores para provar que a compra foi realizada. Mas, Ehud Barak, à revelia de todos, expulsou as famílias judaicas que ainda estavam em seu período de defesa. O ministro da defesa de Israel tirou-lhes a capacidade de defender-se. Certamente, esse homem não tem discernimento do que está fazendo, assim como não teve Ariel Sharon, ao expulsar os habitantes judeus de Gaza e entregá-la aos árabes que vivem em Israel como território livre de judeus! Diariamente, esses atuais habitantes lançam mísseis contra Israel, para destruir crianças, jovens, adultos, desestabilizar o sul de Israel e fazer com que saiam de lá!
Vários foram os parlamentares a criticar a ação de Barak e esperam uma resposta de Netanyahu sobre o assunto.
Clamemos por essa situação: se Ehud Barak é uma pedra de tropeço para o atual governo de Israel, que o SENHOR o remova ou retire sua autoridade sobre tais assuntos, em Nome do SENHOR JESUS.
Muitos juízes são tendenciosos quanto à garantia de posse a judeus de terras em áreas ‘conflitantes’, que são requeridas como parte de um futuro estado árabe em terras de Israel. Que o SENHOR levante juízes justos, de acordo com Sua promessa; que venha a justiça de Seu reino sobre toda Israel, para que ela seja conhecida como a terra da justiça, em Nome do SENHOR JESUS. Que cesse toda a tendência maligna de dar a causa aos árabes nos territórios por eles ocupados e por eles requeridos como pertencentes a eles, em Nome do SENHOR YEHOSHUA – “E te restituirei os teus juízes, como foram dantes; e os teus conselheiros, como antigamente; e então te chamarão cidade de justiçacidade fiel. Sião será remida com juízo, e os que voltam para ela com justiça” (Isaías 1.26,27).
Clamemos pela proteção e segurança de todos os colonos em Judéia, Samaria e Jerusalém oriental, pois continuamente arriscam suas vidas, uma vez que convivem ao lado de vizinhos que, de uma hora para outra, podem tornar-se inimigos e com o desejo de destruir judeus, como aconteceu no massacre de 1927 e como tem acontecido, esporadicamente, em nossos dias (vide família Fogel e outros que têm sido mortos por pedradas em seus carros, por facadas nas ruas e por meio de homens-bomba).
De um modo geral, a população, políticos e a mídia em Israel condenam os ‘colonos’ por tantos ataques e culpam-nos por serem um ‘impedimento’ ao acordo de paz com os árabes que vivem em Israel. Nós, sionistas bíblicos, louvamos a YAH pela vida desses homens e mulheres, famílias inteiras dispostas a cumprir a Palavra de YHVH, por crerem nela (Êxodo 23.20-33).
Clamemos pela transformação de coração da comunidade em Israel, para que veja os colonos de modo diferente e passe a exigir mudanças na atitude governamental com respeito a eles e aos assentamentos. Que sejam fortalecidos e mantenham-se firmes e resolutos, para o louvor do Nome de YAH. Cada um deles é importante no cumprimento das promessas de YAH com referência a Samaria e Judéia. Que RUACH HaKÓDESH convença mais e mais judeus que estão no cativeiro das nações a fazer a aliyah para tomar posse da terra que foi dada a nossos antepassados como possessão perpétua, em Nome de ADONAI, ELOHEI Israel.

Levanta-Te, SENHOR; não prevaleça o homem; sejam julgados os gentios diante da Tua face. Põe-os em medo, SENHOR, para que saibam as nações que são formadas por meros homens (Selá)... Levanta-Te, ó DEUS, julga a Terra, pois TU possuis todas as nações… Todos os limites da Terra se lembrarão, e se converterão ao SENHOR; e todas as famílias das nações adorarão perante a Tua face. Porque o reino é do SENHOR, e ELE domina entre as nações” (Salmos 9.19,20; 82.822.27,28)
Todas as nações que fizeste virão e se prostrarão perante a Tua face, SENHOR, e glorificarão o Teu Nome. Porque TU és grande e fazes maravilhas; só TU és DEUS. Ensina-me, SENHOR, o Teu caminho, e andarei na Tua verdade; une o meu coração ao temor do Teu Nome. Louvar-Te-ei, SENHOR DEUS meu, com todo o meu coração, e glorificarei o Teu Nome para sempre. Pois grande é a Tua misericórdia para comigo; e livraste a minha alma do inferno mais profundo. Ó DEUS, os soberbos se levantaram contra mim, e as assembléias dos tiranos procuraram a minha alma, e não Te puseram perante os seus olhos. Porém TU, SENHOR, és um DEUS cheio de compaixão, e piedoso, sofredor, e grande em benignidade e em verdade. Volta-Te para mim, e tem misericórdia de mim; dá a Tua fortaleza ao Teu servo, e salva ao filho da Tua serva. Mostra-me um sinal para bem, para que o vejam aqueles que me odeiam, e se confundam; porque TU, SENHOR, me ajudaste e me consolaste” (Salmo 86.9-17)
O ministro das Relações Exteriores da Austrália, Bob Car, está confrontando a resolução da Unesco de receber ‘o estado que não é estado dos árabes que vivem em Israel’, em 31 de outubro de 2011 (no dia em que o mundo consagra às bruxas…), como seu centésimo nonagésimo quinto ‘estado’ membro, numa votação em que 107 países dos 194 membros votaram a favor, 14 foram contra, 52 se abstiveram e 21 estavam ausentes.
Como resultado catastrófico dessa decisão, 22% do orçamento da Unesco foi suspenso, por causa da suspensão do auxílio anual pelo governo norte-americano (os parlamentares, e não obama, decidiram a suspensão da ajuda por causa disso). Os países árabes não socorreram a Unesco que está em crise financeira e humanitária.
Dois graves erros nessa votação que demonstram que a eleição FOI UMA FRALDE:
ü   somente nações (reconhecidas pela ONU, pelo Conselho de Segurança da ONU) podem ser admitidas na Unesco e ‘não existe um estado árabe no território de Israel’;
ü  o número de votos requeridos para a inclusão dos árabes é de 129 votos favoráveis, e não os 107 que receberam.
Até o momento, a Unesco não deu qualquer resposta à Austrália ou sequer tem considerado uma resposta. É interessante como essa notícia não é vinculada nos noticiários (nacionais e internacionais)… mas a irregularidade existe.
Com essa atitude, aliada a tantas outras posturas controversas, injustas e incongruentes da ONU e dos órgãos a ela associados com respeito a Israel, geralmente parciais e contrárias a Israel, meditando na Palavra (Salmo 83), e lendo alguns comentários, penso que o SENHOR, que ao longo desses anos, tem endurecido o coração dos líderes árabes para que um acordo de paz espúrio e contrário à Sua perfeita vontade não seja assinado, que tem ‘inclinado o coração do rei’ em Israel para fazer Sua vontade, permitirá que as nações determinem essa questão e imponham um estado árabe sobre Israel, como fronteiras indefensáveis, com uma organização terrorista que queira sujeitar Israel em tudo, até expulsar cada judeu de seu território… e, quando digo, ‘seu território’, me refiro a todo o Estado de Israel.
Quando mahmoud abbas decidiu apresentar sua solicitação de um estado árabe independente para apreciação da ONU, ergueu um troféu, cujo contorno é TODO O ESTADO DE Israel (foto abaixo – parece a forma de um tubarão, e é o que eles são, ferozes e traiçoeiros, cheios de garra).
http://forzion.com/wordpress/wp-content/uploads/2011/12/abbas-model.jpg
Para a próxima quarta-feira um encontro agendado entre Netanyahu e o primeiro ministro dos árabes, salam fayyad, será o início do face a face que espera Netanyahu ter com abbas. Esse encontro será precedido por troca de cartas de intenção entre os dois. E abbas já ameaçou retornar à ONU se Israel não aceitar suas pré-condições (exigências) para iniciar a conversações de paz:
§ congelamento das construções nos assentamentos em Judéia, Samaria e Jerusalém oriental;
§ aceitação das fronteiras (não políticas, mas onde terminou a guerra de independência de 1948-49) prévias à Guerra de 1967 como fronteiras para o futuro estado árabe;
§ libertação de todos os prisioneiros árabes que estão nos cárceres israelenses.
Entretanto, a postura do atual governo israelense não mudou: ‘sem pré-condições’, mas simplesmente sentar e colocar as diferenças, possibilidades e impossibilidades às claras. Tal confronto ‘face a face’ não é o que abbas deseja (está claro), mas continuará com a ‘guerrinha’ de ‘correr para as saias da mamãe’ (‘o quarteto heróico’ – UE, EUA, ONU e Rússia), como criança mimada ou ‘sanguessuga dá-dá’, gritando e esperneando às nações que Netanyahu não quer dar o ‘doce que ele, Netanyahu, ganhou’ para ele, abbas’…
Triste, mas a pura realidade. As nações, raras exceções, jazem no maligno. Nossos governantes não enxergam um palmo à frente do nariz, e condenarão Israel ao exílio e à solidão; a entregarão à própria sorte, como estão fazendo no caso Irã.
JESUS disse: “Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e Me deixareis só; mas não estou sóporque o PAI está coMigo” (João 16.32)
E disse de Israel: “Como amaldiçoarei o que DEUS não amaldiçoa? E como denunciarei, quando o SENHOR não denuncia? Porque do cume das penhas o vejo, e dos outeiros o contemplo; eis que este povo habitará só, e entre as nações não será contado” (Números 23.8,9)
A hora está chegando em que Israel se verá só, isolada, no exílio das nações – clamemos para que nesse momento os olhos de cada judeu seja aberto para ver Aquele a Quem seu MESSIAS viu: o PAI com ELE. Que Israel perceba a ação do PAI em cada passo, em cada atitude, em cada momento que vive Israel, para o louvor do Seu Nome.
Que Israel comece a clamar por seu Redentor e SENHOR, voltando-se para o DEUS dos patriarcas que arde por ser seu DEUS também, particular de cada um.
Que o SENHOR julgue as nações pela forma como têm tratado Israel – “Chegai-vos, nações, para ouvir, e vós povos, escutai; ouça a Terra, e a sua plenitude, o mundo, e tudo quanto produz. Porque a indignação do SENHOR está sobre todas as nações, e o Seu furor sobre todo o exército delas; ELE as destruiu totalmente, entregou-as à matança. E os seus mortos serão arremessados e dos seus cadáveres subirá o seu mau cheiro; e os montes se derreterão com o seu sangue. E todo o exército dos céus se dissolverá, e os céus se enrolarão como um livro; e todo o seu exército cairá, como cai a folha da vide e como cai o figo da figueira. Porque a Minha espada se embriagou nos céus; eis que sobre Edom descerá, e sobre o povo do Meu anátema para exercer juízo. A espada do SENHOR está cheia de sangue, está engordurada da gordura do sangue de cordeiros e de bodes, da gordura dos rins de carneiros; porque o SENHOR tem sacrifício em Bozra, e grande matança na terra de Edom. E os bois selvagens cairão com eles, e os bezerros com os touros; e a sua terra embriagar-se-á de sangue até se fartar, e o seu pó se engrossará com a gordura. Porque será o dia da vingança do SENHOR, ano de retribuições pela contenda de Sião” (Isaías 34.1-8).
Que o
Corpo do MESSIAS no mundo não se cale como se calou durante os anos da Shoah, e se acovarde pela pressão do mundo e por causa dos apelos do mundo, mas se levante como tantos ‘heróis da fé’ pela causa de YHVH, e defenda o povo que ELE escolheu, que ELE ama, o povo de Israel.

Que as nações tremam e temam diante do Nome de YAHVEH e de Seu conselho e determinação, fazendo cessar suas maquinações contra o DEUS de Israel e o sinal cabal de Sua existência, Israel – “Os reis da Terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o SENHOR e contra o Seu ungido, dizendo: ‘Rompamos as Suas ataduras, e sacudamos de nós as Suas cordas. Aquele que habita nos céus Se rirá; o SENHOR zombará deles. Então lhes falará na Sua ira, e no Seu furor os turbará… Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da Terra. Servi ao SENHOR com temor, e alegrai-vos com tremor. Beijai o FILHO, para que Se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a Sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nELE confiam” (Salmo 2.2-5,10-12).

Por isso a ira de YHVH se acendeu contra Israel, e ELE disse: ‘Porquanto esta nação violou a aliança que fizcom seus antepassados e não deu ouvidos ao que EU digo, EU não expulsarei de diante deles, no futuro,nenhuma das nações que Y’hoshua (Josué) deixou quando morreu. Será dessa forma que provarei a Israel, para ver se eles se manterão ou não no caminho de YHVH, vivendo de acordo com ELE, como seus antepassados fizeram’. Então ADONAI permitiu que aquelas nações permanecessem onde estavam, sem expulsá-las de imediato, nem entregá-las nas mãos de Y’hoshua. Estas são as nações que ADONAI permitiu continuarem na terra, para que pusessem à prova todo o povo de Israel que não conheceu nenhuma guerra com Kena’na. O propósito de YHVH era tão somente treinar na guerra essas gerações de Israel que nada sabiam sobre esses conflitos. Essas nações consistiam nos cinco chefes dos p’lishtim (filisteus), todo o kena’ani (cananeu), o tzidoni (sidônios), e hivi (heveu) que vivia nas montanhas do L’vanon,… Eles permaneceram ali para ver se Israel daria atenção às mitsvot de YHVH, às quais, por meio de Mosheh, ELE tinha ordenado que seus antepassados obedecessem” (Juízes 2.20- 1.1,2,4)
O SENHOR não expulsou os inimigos de dentro de Israel porque ela não creu em Sua Palavra, em Seu poder. Por esta razão, pela apostasia de Israel, ELE determinou não mais expulsar os inimigos a serem conquistados, por dois motivos:
v provar Israel, expor seu coração, mostrar a eles mesmos que não seriam capazes de guardar Suas ordenanças (mitsvot) senão por um coração quebrantado, humilhado e dependente dELE mesmo. O SENHOR os queria provar, para expor-lhes a realidade do pecado e pela incapacidade humana de se livrar do pecado, senão por meio do MESSIAS prometido de Israel;
v o SENHOR queria adestrá-los para a guerra, queria forjar uma nação com o caráter guerreiro sionista bíblico, preparada para a guerra, que entendesse as batalhas de YAH em julgar os deuses dos povos para revelar-Se como Único e absoluto e todo suficiente SENHOR, e fosse adiante para pelejá-las, porque amava seu SENHOR e Salvador acima de tudo.
Hoje, a situação não se alterou. Israel está rodeada e infiltrada de inimigos que desejam sua destruição, a morte de todos os judeus. Por esta razão, os líderes árabes não reconhecem Israel como o lar nacional do povo judeu. E abbas tem se escondido atrás das acusações a Israel para não se assentar e discutir formas viáveis de paz.
Para sair do Egito, ao atravessarem o Yam Suf a pé enxuto, havia um povo escolhido, um grupo de homens e mulheres cheios de idolatria e escravidão em seu comportamento. Entretanto, um grupo não conquista uma terra. O que primeiro fez o SENHOR em Israel, durante o período de deserto, foi estabelecer um exército, com leis e estatutos, e regras sociais, alimentares, e de saúde, para estabelecer uma nação, pois, para entrar na terra prometida, o SENHOR precisava transformar aquele povo idólatra numa nação santa (separada para ELE, para revelar Sua glória e manifestar Sua graça diante dos povos da Terra, idólatras e escravos), sacerdócio real (que exercesse influência sobre outras nações por revelar que YHVH é o Criador do universo, Único e Vivo DEUS e SENHOR; além de ser o condutor do povo ao Verdadeiro DEUS, como acontecerá nos dias do cumprimento da profecia em Zacarias 8.23), porque são Seu povo escolhido.
Hoje, o SENHOR está realizando essa obra em Israel, retirando cada judeu do cativeiro das nações e levando-o de volta à terra prometida, para ali seguir com o trabalho de transformação para que se tornem Seus adoradores, quando então se levantará o exército grande em extremo (Ezequiel 37.10) para divulgar Sua Palavra aos povos da Terra, manifestar Sua glória e provar que só o SENHOR, ELOHEI Israel é DEUS.
E essa necessidade é tão premente, porque, ao ler traduções ou ouvir traduções do árabe para o inglês ou para o português, os entrevistadores e outros personagens do cenário político e religioso continuam a referir-se a allah como DEUS, o DEUS de Israel. Misericórdia, SENHOR! allah não é DEUS! allah é mais uma das transfigurações de satanás.
Y’hoshua e sua geração só conseguiram conquistar a terra prometida, porque estavam comprometidos com o SENHOR (“…eu e a minha casa serviremos ao SENHOR… Israel serviu a YHVH durante todo o tempo de vida de Y’hoshua e durante todo o tempo de vida de todos os líderes depois de Y’hoshua, os quais tinham conhecimento de todos os feitos que YHVH tinha realizado em favor de Israel” - Josué 24.15c,31).
As nações temiam e tremiam diante de Israel, porque entenderam que ela servia ao DEUS insuperável, infinitamente maior do que seus próprios deuses (demônios) e quão inoperantes, inertes e ineficazes tais deuses eram diante da soberania e majestade de ELOHEI Israel. Foi o comprometimento do povo para com ELOHIM que LHE permitiu pelejar por Israel (Josué 10.42), expulsando os habitantes da terra, e ter Seu Nome engrandecido no meio dos povos da Terra por Seus grandes feitos (Josué 2.9-11).
O fato de Y’hoshua e sua geração não se dobrarem às pressões internacionais, possibilitou-lhes o fortalecimento próprio e a conquista da terra dantes prometida a seus antepassados. O período em que obedeceram ao SENHOR não fazendo aliança com os homens da terra (e seus deuses), garantiu-lhes a liberdade de culto ao SENHOR, a obediência a ELE e as conquistas, porque o SENHOR pelejava por eles.
Clamemos para que o SENHOR continue a endurecer o coração dos líderes árabes e muçulmanos que vivem em Israel, para que um acordo de paz não saia, em Nome do SENHOR JESUS – “Pois foi o próprio YHVH Quem endureceu o coração deles para que viessem lutar contra Israel, de maneira que fossem completamente destruídos e exterminados sem misericórdia, como ADONAI havia ordenado a Mosheh” (Josué 11.20).
Que o SENHOR siga em inclinar o coração dos líderes em Israel para fazerem Sua perfeita vontade – “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o Seu querer” (Provérbio 21.1).
A cada dia, tenham os habitantes de Israel seus corações descortinados para eles mesmos, ao ponto de compreenderem sua necessidade de auxílio e, como o salmista, em oração, elevem seus olhos acima dos montes de Israel e tenham um encontro com seu MESSIAS e SENHOR, YEHOSHUA.
Que todos os judeus, em Israel e no cativeiro das nações, se levantem como guerreiros sionistas bíblicos, como aquele exército que ainda está morto, mas que pelo sopro do Espírito que vem pelo clamor dos santos de todos os continentes, será vivificado, ressuscitará dentre os mortos e tornar-se exército poderoso e imenso sob o comando de YHVH Tsevaot, YEHOSHUA HaMASHIACH, Sar Shalom (Ezequiel 37.9.10; Romanos 11.15; Oséias 6.1-3), MÉLECH haYehudim, MÉLECH haolam.
Que o SENHOR levante essa geração em Israel como a geração comprometida de Y’hoshua, comprometida em fazer a vontade do SENHOR e seguir Suas orientações e glorificar o Seu Santo Nome. Que o SENHOR levante, em nossa geração, a geração que seguirá YEHOSHUA por onde quer que ELE vá: “Estes são os que não estão contaminados com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem HaSeh (O Cordeiro) para onde quer que vá. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para ELOHIM e para HaSeh” (Apocalipse 14.4).
Que Israel seja fortalecida em suas posturas de avanço e não de recuo, de não abrir mão de territórios, mas de sujeitar os povos da terra a obedecerem a YHVH, como descrito em Jeremias 12.14-17,no projeto de paz que o SENHOR tem para os povos em derredor (“Eis o que diz YHVH: ‘Como todos os Meus maus vizinhos invadem a herança cuja posse dei a Israel, Meu povo, EU os eliminarei de suas terras, e erradicarei Y’hudah do meio deles. Então, depois de os ter arrancado pela raiz, terei pena deles outra vez e os trarei de volta, cada um para sua herança, cada um na própria terra. Então, se eles aprenderem com cuidado os caminhos de Meu povo, jurando por Meu Nome – ‘Como vive YHVH’ – da mesma forma que ensinaram Meu povo a jurar por baal, eles serão edificados entre Meu povo. No entanto, caso se recusem a ouvir, então EU desarraigarei essa nação, EU a erradicarei e destruirei’, diz YHVH”).
Que Israel não ceda às pressões internacionais, mas entenda que YAH é por ela e dará o Seu livramento, no tempo que ELE determinou. Clamemos pelo sustento e proteção de Israel, para que não faça aquilo que não agrada ao SENHOR. Clamemos para que a plena, a perfeita vontade de YAH seja cumprida em Israel, em nossos dias, para o louvor e glória e a honra do nosso SENHOR e do Seu CRISTO.
E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará” (João 8.32)
A verdadeira identidade dos árabes que vivem em Israel – metade egípcios, metade sauditas!
No começo deste mês foi divulgada a entrevista do ministro do interior e da segurança nacional do hamas, Fathi Hammad ao canal Al-Hekma, que admitiu ser a identidade ‘palestina’ uma invenção, pois as raízes de muitos ‘palestinos’ são de qualquer parte do Oriente Médio, e que essa identidade é apenas uma capa.
Os líderes árabes tentam pintar uma imagem de que os árabes que vivem em Israel são um grupo distinto de árabes de outras partes, que sua permanência da terra data de longa data e, por causa disso, têm o direito à terra e precisam dela para estabelecer um estado independente. Mas, o ministro declarou que ‘cada palestino em Gaza e em outras partes da ‘palestina’ pode provar suas raízes árabes – seja da Arábia Saudita, do Iêmen, ou de qualquer outra parte. Temos laços de sangue’.
Obviamente, suas declarações não deveriam chegar ao público ocidental. Ele estava exortando o Egito e outros estados vizinhos a suprirem a liderança do hamas em Gaza com combustível gratuito, ‘a ser utilizado’, declarou Hammad, ‘para a continuação da jihad’… ‘Pessoalmente, metade da minha família é egípcia. E nós nos alegramos com isso. Mais de 30 famílias em Gaza são chamadas ‘Al-Masri’ (‘egípcios’). Irmãos, metade dos ‘palestinos’ são egípcios e a outra metade sauditas’… ‘E quem são os ‘palestinos’? Temos muitas famílias chamadas Al-Masri, cujas raízes são egípcias. Egípcios! Eles vieram da Alexandria, do Cairo, de Durmietta, do norte, de Aswan, do alto Egito. Nós somos egípcios. Nós somos árabes. Nós somos muçulmanos. Nós somos parte de vocês’.
(Hamas leader: “Half of Palestinians are Egyptian, the other half Saudi” -http://elderofziyon.blogspot.com.br/2012/04/hamas-leader-half-of-palestinians-are.html?utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed)
Essa entidade chamada ‘palestina’ ligada aos árabes que vivem em Israel só passou a existir depois da unificação de Jerusalém – é óbvio que essa foi e tem sido a investida de satanás, seu meio de estrebuchar e espumejar ira contra o povo escolhido do SENHOR. Quanto mais tempo puder ganhar para retardar o regresso do MESSIAS YEHOSHUA e impedir que coloque Seus pés no Monte das Oliveiras, mais o fará, como tentativa de crescer seu domínio sobre os homens e levar a quantos puder consigo para o lago de fogo que lhe está preparado; ele sabe que, com Israel em posição intransigente e inegociável, não se vendendo por nada, seus dias são encurtados – “se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias” (Mateus 24.22).
Os líderes árabes conhecem a verdade, mas nem pensam em divulgá-la aos ocidentais e sequer ao órgão da ONU (UNRWA – a agência que dá ‘esmola’ e ‘trabalho’ aos refugiados árabes), ligado ao grupo de direitos humanos, que fazem questão, juntos, de manter o status quo dos ditos refugiados árabes de 1948, pela questão política, humanitária e por maledicência (porque usam pessoas que não são aceitas por seus próprios compatriotas (se todas são árabes, nas 22 nações árabes deveriam encontrar asilo político), mas rejeitadas, mantêm o espinho na carne de Israel para que esta resolva sua situação, ‘recebendo-os’ de volta em seu território, para que o número de judeus em relação ao de árabes seja menor e cause uma fatal islamização de Israel – essa tem sido uma das exigências de abbas para retornar à mesa de negociações).
Por que não se fala que esses refugiados são produto da própria instigação dos árabes que atacaram Israel em 1948 (Egito, Jordânia, Síria, Líbano, Iraque e Arábia Saudita)? Por que ninguém expõe a verdade? Por que não declaram que Israel não expulsou ninguém, mas saíram porque quiseram, porque estavam assustados com o que lhes aconteceria se ficassem (pelas ameaças dos exércitos árabes, e não por Israel)?
Por que não se divulga o que aconteceu com os judeus que viviam no Egito, na Arábia Saudita, nas outras nações do Oriente Médio, que foram EXPOLIADAS e EXPULSAS só com a roupa do corpo, deixando suas propriedades para trás, roubadas que foram pelos vizinhos que eram, até bem pouco tempo, seus amigos? Por que essas informações não são divulgadas? Houve uma verdadeira limpeza étnica naquelas nações – e judeus que viveram por centenas de anos naquelas nações, desde o cativeiro romano… Por que o grupo de direitos humanos não investigam tais nações árabes? Poderia dizer que o petróleo não deixa, mas digo que ‘satanás não lhes permite’, porque o mundo jaz no maligno, que é o pai da mentira.
Clamemos para que o Corpo do MESSIAS acorde e busque a verdade sobre esse conflito árabe-israelense e se permita ser conduzido pelo Espírito do SENHOR. Que o véu da cegueira caia, em Nome do SENHOR JESUS, e veja e se posicione pelo SENHOR, se posicionando por Israel e pelo propósito que YAH tem a cumprir através de Israel.
Clamemos pelos refugiados árabes, que têm sido vítimas, marginalizados e usados como peões nas mãos dos líderes mundiais, para que o SENHOR os encontre nessa condição de marginalização, os console e revele-Se a eles. Que haja salvação em abundância no seu meio, encontrando a paz e o descanso nELE e divulgando isso para muitos outros. Que as portas para uma nova vida se abram e possam manifestar a glória do SENHOR em seus ambientes. Constituam novos paradigmas por causa da Presença do SENHOR no meio deles. Que vejam a verdade e todo o ódio com que têm sido instigados e alimentados contra Israel dê lugar ao amor do SENHOR e sejam usados por ELE para provocar ciúmes a toda Israel (Romanos 11.11).
Que aqueles que têm acusado Israel de apartheid e de não dar uma saída para os refugiados sejam envergonhados, por causa da verdade exposta claramente diante deles. Que os mesmo sejam usados pelo SENHOR para declarar a verdade sobre toda essa situação, em Nome do SENHOR JESUS.

YHVH disse a Y’hoshua: ‘Não tenha medo deles, pois, amanhã, a esta mesma hora, EU derrotarei todos eles, e serão todos mortos, diante de Israel. Você deve cortar os tendões dos cavalos deles e queimar suas carruagens… ADONAI os entregou a Israel… eles os atacaram até que não restasse nenhum deles. Y’hoshua fez a eles conforme YHVH ordenou – cortou os tendões dos cavalos e queimou suas carruagens” (Josué 11.6,8,9)
O SENHOR deu uma ordem a Israel para avançar e ir contra vários reis, porque ELE os entregaria feridos nas mãos dos soldados de Israel. E que deveriam cortar os tendões dos cavalos e queimar as carruagens dos exércitos inimigos. O SENHOR estava ordenando a Israel que destruísse o objeto de sua confiança e segurança, pois ‘confiavam em carros e cavalos’, para que fizessem menção somente do Nome do SENHOR’ (Salmo 20.7-9).
David possuía uma funda e cinco pedras para enfrentar o gigante filisteu. Entretanto, possuía uma arma que nenhum de seus companheiros e irmãos possuía: ‘a confiança nAquele com Quem tinha aliança eterna’ (e ele possuía a marca da aliança, não só pela circuncisão da carne do seu prepúcio, mas pela circuncisão de seu coração, pois ele era o homem segundo o coração de YHV). Sabia que um incircunciso estava afrontando os exércitos do DEUS Vivo e estava prevalecendo, porquanto encurralando-os todos nas cavernas. Conhecia Quem estava sendo afrontado: o próprio ELOHEI Israel. Esse era o nível de compromisso de David, de entrega, de desejo de ver o Nome do Poderoso de Israel exaltado diante de todo incircunciso que O despreza (1Samuel 17. 25-58).
Em ambas as situações, o SENHOR destruiu o ‘arco do inimigo, o principal do seu poder’, aquilo em quem punha sua confiança e habilidade e a vitória certa.
Prossigamos em clamar para que o SENHOR cumpra Sua Palavra em Jeremias 49.35, em que ‘ELE destruirá o arco do Elão, o principal do seu poder’ – quer seja o regime terrorista do islamismo xiita, com a derrocada do rei (aiatolá ali khamenei) e seus príncipes (mulahs e o presidente ahmadinejad); quer pela destruição de todas as instalações nucleares ‘uranianas’, acabando com a força do seu poder bélico e do investimento e proliferação do islamismo no mundo.
Que se sequem, vão à míngua, todas as células terroristas que são sustentadas pelo Irã e pelo al-qaida, em Nome do SENHOR JESUS.
Que o povo no Irã se converta ao SENHOR JESUS e a Igreja cresça a 100.1, diariamente.
Clamemos pela vida do Pr Youcef Nadarkani, preso há quatro anos, aguardando a execução da sentença de morte (um vídeo foi veiculado na internet sobre sua possível execução por enforcamento, mas de fonte duvidosa. Acredita-se que ainda esteja vivo). Que o SENHOR o sustente em todas suas carências e necessidades, bem como a toda sua família. Que o SENHOR seja glorificado em tudo nessa situação. Clamemos pela sua libertação física, em Nome do SENHOR JESUS.
Que venha o juízo de YAH sobre ali khamenei e ahmadinejad e, ao mesmo tempo, que o SENHOR não Se esqueça de Sua infinita misericórdia, porque está repleta das mesmas gotas de orvalho que alimentam o deserto em sua estação própria! Que sejam envergonhados os inimigos de Israel, mas reconheçam ao SENHOR dos Exércitos como seu SENHOR e Salvador. Que sejam salvos para que o Nome de YAH seja glorificado, exaltado e engrandecido por meio dessas vidas e satanás derrotado e envergonhado, em Nome do SENHOR JESUS CRISTO!
Que Netanyahu e os líderes políticos, civis, militares e religiosos de Israel não sejam paralisados e pressionados em suas opções, em suas atitudes pela mídia ou pelos governos mundiais. Sejam biblicamente centrados e não politicamente corretos, em Nome do SENHOR JESUS.
Que Israel faça a diferença em nossa geração, para assumir sua posição de primogenitura nas nações da Terra e, como Yehudah, que era enviado à frente de seus irmãos na ordem do exército de Israel, marche para avançar contra os inimigos de YHVH.
Que o Corpo do MESSIAS seja fiel ao SENHOR em pelejar as pelejas de YHVH na força dELE, com Suas estratégias, com Sua visão, em obediência absoluta a ELE, e que Israel faça o mesmo, em Nome do SENHOR YEHOSHUA.

removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel, e os edificarei como ao princípio. E os purificareide toda a sua maldade com que pecaram contra Mim; e perdoarei todas as suas maldades, com que pecaram e transgrediram contra Mim; e este lugar Me servirá de Nome, de gozo, de louvor, e de glória, entre todas as nações da Terra, que ouvirem todo o bem que EU lhe faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que EU lhe dou. Assim diz o SENHOR: Neste lugar de que vós dizeis que está desolado, e sem homem, sem animal nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém, que estão assoladas, sem homem, sem morador, sem animal, ainda se ouvirá: a voz de gozo, e a voz de alegria, a voz do esposo e a voz da esposa, e a voz dos que dizem: ‘Louvai ao SENHOR dos Exércitos, porque bom é o SENHOR, porque a Sua benignidade dura para sempre’; dos que trazem ofertas de ação de graças à casa do SENHOR; pois farei voltar os cativos da terra como ao princípio, diz o SENHOR. Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda neste lugar, que está deserto, sem homem nem animal, e em todas as suas cidades, haverá uma morada de pastores, que façam repousar aos seus rebanhos. Nas cidades das montanhas, nas cidades das planícies, e nas cidades do Negev, e na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, e nas cidades de Judá, ainda passarão os rebanhos pelas mãos dos contadores, diz o SENHOR. Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que cumprirei a boa palavra que falei à casa de Israel e à casa de Judá; naqueles dias e naquele tempo farei brotar a David um Renovo de justiça, e ELE fará juízo e justiça na Terra. Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome com o qual DEUS a chamará: ‘YHVH Tsdikenu’ (SENHOR Justiça nossa). Porque assim diz o SENHOR: Nunca faltará a David homem que se assente sobre o trono da casa de Israelnem aos sacerdotes levíticos faltará homem diante de Mim, que ofereça holocausto, queime oferta de alimentos e faça sacrifício todos os dias” (Jeremias 33.7-18)
Aliyah
O SENHOR tem um encontro marcado com cada judeu espalhado entre as nações-cativeiro, para remover seu cativeiro, para edificar a nação como antes.
O SENHOR deseja purificá-los e perdoá-los para que tenham a chance de viver para ELE.
O SENHOR deseja fazer Seu Nome conhecido e temido entre as nações, glorificado e santificado, por todo o bem que tem feito e fará a Israel.
O SENHOR deseja restaurar os desertos e transformá-los como o Jardim do Éden, a fim de receber Seu povo em todas as fronteiras que ELE determinou previamente, quando dividia os limites das nações da Terra (Deuteronômio 32.8Ezequiel 5.5).
O SENHOR deseja fazer juízo e justiça na Terra.
O SENHOR deseja ser a nossa justiça.
O SENHOR deseja regressar como o Renovo de Justiça descendente de David e assentar-Se no trono que LHE pertence, por direito de herança e por direito de conquista.
Entretanto, para que regresse, precisa que os judeus estejam de volta a Israel, estabelecidos em suas possessões e clamando por Sua vinda (Baruch Haba b’SHEM YHVH). O cenário para Seu regresso precisa ser estabelecido e esse cenário passa, NECESSARIAMENTE, pelo regresso dos judeus a Israel, por seu estabelecimento e vida, como nação, em Eretz Israel. Se os judeus não regressarem, quem clamará por Sua vinda, desde Israel? Amados, o SENHOR quer, aspira por ouvir a voz de Seu povo clamando!
Menos de um terço dos judeus regressou a Israel até agora, depois de 60 anos de sua independência. Há mais de dois trecos de judeus que vivem no cativeiro das nações, com os corações aprisionados pelas cebolas e as iguarias do Egito, as riquezas de Bavel, os apelos do mundo.
Se desejamos que o SENHOR regresse em nossa geração, precisamos clamar, amados, auxiliar, chorar entre o alpendre e o altar, investir financeiramente, apoiar organizações que auxiliam na aliyah. Orar e trabalhar para que os judeus sejam libertos das amarras do cativeiro e regressem a Israel em grandes massas imigratórias.
Que o SENHOR sustente e faça prosperar a economia em Israel, que cresça e se desenvolva, abrindo milhões de oportunidades de emprego para absorver toda a mão de obra que está prestes a regressar.
Que o Corpo do MESSIAS seja levantado para envolver-se nesse trabalho para o SENHOR. Que o SENHOR nos desperte e a muitos gentios para conduzir os judeus de volta a Israel.: “Assim diz o SENHOR DEUS: Eis que levantarei a Minha mão para os gentios, e ante os povos arvorarei a Minha bandeira; então trarão os teus filhos nos braços, e as tuas filhas serão levadas sobre os ombros. E os reis serão os teus aios, e as suas rainhas as tuas amas; diante de ti se inclinarão com o rosto em terra, e lamberão o pó dos teus pés; e saberás que EU Sou o SENHOR, que os que confiam em Mim não serão confundidos” (Isaías 49.22,23)
Que investidores internacionais optem por fazer investimentos gigantescos em Israel e as riquezas das nações venham a Israel, em Nome do SENHOR JESUS: “Então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alargará; porque a abundância do mar se tornará a ti, e as riquezas dos gentios virão a ti… E as tuas portas estarão abertas de contínuo, nem de dia nem de noite se fecharão; para que tragam a ti as riquezas dos gentios, e, conduzidos com elas, os seus reis. Porque a nação e o reino que não te servirem perecerão; sim, essas nações serão de todo assoladas. A glória do Líbano virá a ti; a faia, o pinheiro, e o álamo conjuntamente, para ornarem o lugar do meu santuário, e glorificarei o lugar dos meus pés. Também virão a ti, inclinando-se, os filhos dos que te oprimiram; e prostrar-se-ão às plantas dos teus pés todos os que te desprezaram; e chamar-te-ão a cidade do SENHOR, a Sião do Santo de Israel. Em lugar de seres deixada, e odiada, de modo que ninguém passava por ti, far-te-ei uma excelência perpétua, um gozo de geração em geração. E mamarás o leite dos gentios, e alimentar-te-ás ao peito dos reis; e saberás que EU Sou o SENHOR, o teu Salvador, e o teu Redentor, o Poderoso de Jacó” (Isaías 60.5,11-16).
Clamemos pela restauração do direito dos anussim de regressar a Israel sem ter  que passar pela conversão ao judaísmo, sendo aceitos como judeus que são: “Mas TU és nosso PAI, ainda que Avraham não nos conhece, e Israel não nos reconhece; TU, ó SENHOR, és nosso PAI; nosso Redentor desde a antiguidade é o Teu Nome” (Isaías 63.16). Como uma anussah, tenho depositado minha confiança no SENHOR e a certeza de que restaurará nosso direito ao regresso, para que se cumpra Sua Palavra falada por meio deObadias 17 a21.
Que a venha a Salvação do SENHOR a Israel, em Nome dAquele que é Salvação, o SENHOR JESUS.
Lembremo-nos da contagem de ômer, preparando-nos para Shavuot. Hoje, 16 de abril, é o nono dia da contagem de ômer (o segundo dia da segunda semana da contagem de ômer).
Dentro do calendário judaico, algumas datas importantes marcam esse mês:
19.04 – Iom HaShoah – dia em memória do Holocausto e dos mais de seis milhões de pessoas assassinadas pela crueldade de homem sem DEUS.
Clamemos ao SENHOR por derramar Seu bálsamo de cura sobre as feridas profundas dos sobreviventes do holocausto e daqueles que perderam muitos familiares. Que o SENHOR derrame de Seu Espírito de consolação sobre cada judeu e ministre o perdão. Que todo o ódio, a mágoa seja removida neste dia e a paz alcance os corações feridos – “Porque assim diz o SENHOR: A tua ferida é incurável; a tua chaga é dolorosa. Não há quem defenda a tua causa para te aplicar curativo; não tens remédios que possam curar… porque te feri com ferida de inimigo, e com castigo de quem é cruel, pela grandeza da tua maldade e multidão de teus pecados… Porque te restaurarei a saúde, e te curarei as tuas chagas, diz o SENHOR; porquanto te chamaram a repudiada, dizendo: É Sião, já ninguém pergunta por ela. Assim diz o SENHOR: Eis que farei voltar do cativeiro as tendas de Jacó, e apiedar-Me-ei das suas moradas; e a cidade será reedificada sobre o seu montão, e o palácio permanecerá como habitualmente. E sairá deles o louvor e a voz de júbilo; e multiplicá-los-ei, e não serão diminuídos, e glorificá-los-ei, e não serão apoucados. E seus filhos serão como na antiguidade, e a sua congregação será confirmada diante de Mim; e castigarei todos os seus opressores.E os seus nobres serão deles; e o seu governador sairá do meio deles, e o farei aproximar, e ele se chegará a Mim; pois, quem de si mesmo se empenharia para chegar-se a Mim? diz o SENHOR. E ser-Me-eis por povo, e EU vos serei por DEUS” (Jeremias 30.12-14,17-22);
26.04 – Iom Hazicaron – dia da memória pelos que tombaram defendendo Israel. Infelizmente, Israel ainda não encontrou a paz e ainda não vive em segurança, mas vive em constante ameaça e maior ainda nesses dias.
Clamemos pelos familiares de tantos combatentes, de tantos que perderam suas vidas pela opção de viverem em Israel e defendê-la dos inimigos, o lugar mais seguro do mundo para os judeus, pois o SENHOR está ali. Que o sangue do Justo e Perfeito Judeu, JESUS, que foi vertido em Jerusalém, clame e seja ouvido.
27.04 – Iom Ha’Atzma’ut – dia da Independência de Israel. Nessa data, ‘o relógio de DEUS voltou a correr’; o cumprimento da profecia em Isaías 66.7,8 provou que a Palavra de YAH é literal, para surpresa de muitos cristãos que advogam a teologia da substituição. Esse foi um dia glorioso! Celebrá-lo é celebrar ao SENHOR e reverenciar Seu Nome por Seus grandes e tremendos feitos. É temer Sua majestade, soberania, por tão Poderoso REI e SENHOR! HalleluYAH!!!
Clamemos pela segurança de Israel e que todos os intentos dos árabes de se rebelarem e tentarem a invasão de Israel (por mar, terra, ar) sejam frustrados e absolutamente fracassados, em Nome do SENHOR JESUS. Seja um dia de gozo, de liberdade, de refrigério para toda Israel, em Nome dAquele que comprou nossa liberdade e a de cada ser humano, que nos deu a verdadeira independência do pecado e da morte, YEHOSHUA HaMASHIACH.
Chag sameach, com o amor do MESSIAS de Israel,
marciah malkah

Jessica Mendonça (159 Posts)


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio