Oremos pela Coréia do Norte

15/04/2013 18h27 - Atualizado em 15/04/2013 18h49

Coreia do Norte ameaça retaliar Sul por queima de imagens de Il-Sun

Manifestantes queimaram imagens do fundador da Coreia do Norte.
Exército prometeu lançar ataque caso ‘atividades hostis’ continuem.

Da France Presse

 

O Exército norte-coreano deu nesta terça-feira (hora local) um ‘ultimato’ ao vizinho do sul, prometendo lançar um ataque inesperado, caso as atividades hostis àCoreia do Norte continuem na península.

O alerta foi feito depois que manifestantes em Seul queimaram, na segunda-feira, imagens do fundador da Coreia do Norte, Kim Il-Sung, de seu filho, Kim Jong-Il, e de seu neto e atual líder do país, Kim Jong-Un.

O ato coincide com as festividades nacionais na Coreia do Norte pelo 101º aniversário do nascimento de Kim Il-Sung, uma data reverenciada como ‘O dia do sol’.

‘Todo o governo e o povo da DPRK (Coreia do Norte) estão fervilhando com um forte ressentimento por esse monstruoso ato criminoso’, declarou o Comando Supremo do Exército, em nota divulgada pela agência oficial de notícias norte-coreana.

No ‘ultimato’, o governo declara que ‘nossa ação retaliatória começará sem aviso prévio, a partir de agora, já que um criminoso ato triplamente amaldiçoado de ferir a dignidade da liderança suprema da DPRK está sendo abertamente praticado no coração de Seul, sob o patrocínio das marionetes do governo’.

A nota acrescenta que as Forças Armadas ‘iniciarão imediatamente suas corretas ações militares para mostrar como o governo e o povo da DPRK valorizam e protegem a dignidade da liderança suprema’.

‘A demonstração militar das revolucionárias Forças Armadas da DPRK será um poderoso golpe de marreta em todas as forças hostis que ferem a dignidade da liderança suprema da DPRK’.

A península coreana se encontra em uma escalada de tensão militar desde que o Norte realizou um teste nuclear em fevereiro de 2013.

Estimulada pelas recentes sanções da ONU e pelos exercícios militares conjuntos EUA-Coreia do Sul, Pyongyang tem lançado várias ameaças de ataques de míssil e de guerra nuclear, nas últimas semanas.

Em uma tentativa para diminuir a tensão, a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, defendeu semana passada a necessidade de diálogo e de se ‘ouvir o que a Coreia do Norte pensa’.Pyongyang rejeitou as propostas como um ‘truque ardiloso’ de Seul para esconder suas intenções agressivas.

Nesta terça, o Comando do Exército Supremo declarou que, se o Sul realmente quiser estabelecer diálogo e negociações, ‘eles devem se desculpar por todos os atos hostis à DPRK, grandes e pequenos’.

A Coreia do Norte costuma relacionar testes militares de alto perfil com datas-chave, motivo pelo qual esperava-se um teste de míssil de médio alcance na segunda-feira, junto com as celebrações pelo nascimento de Kim Il-Sung.

Ao contrário do que aconteceu na comemoração do Centenário de Il-Sung, este ano, porém, não houve parada militar de grande porte, e autoridades sul-coreanas disseram que o estado de atenção com o possível lançamento de míssil pode se arrastar por dias.

Pra. Régina (205 Posts)

Sou pastora da Igreja Batista Jesus é a Vida desde 2007. Sou casada com o pastor Inerves Filho e temos duas lindas crianças, Ana Regina e Cristiano, de 11 e 5 anos. Vivo para servir a Deus, buscando cumprir cabalmente a missão que Ele nos deu.


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio