Ore pela paz de Jerusalém – informe de 16 a 31.07.2012

E parou, e clamou às companhias (maarchot) de Israel, e disse-lhes: Para que saireis a ordenar a batalha (maarchot)? Não sou eu filisteu e vós servos de Saul? Escolhei dentre vós um homem que desça a mim… Chegava-se, pois, o filisteu pela manhã e à tarde; e apresentou-se por quarenta dias… Então falou David aos homens que estavam com ele, dizendo: Que farão àquele homem, que ferir a este filisteu, e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar Maarchot ELOHIMChaiym (as companhias, as ordens e fileiras de batalha do DEUS Vivo)?… David, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em Nome de YHVH Tevaot (SENHOR dos Exércitos)ELOHEI Maarchot Israel(DEUS das batalhas, da formação, da ordem de guerra de Israel), a Quem tens afrontado(quando o inimigo nos afronta está afrontando a YHVH, porque estamos com ELE aliançados, plasmados, inseridos nELE). Hoje mesmo o SENHOR te entregará na minha mão, e ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça, e os corpos do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; e toda a Terra saberá que há DEUS em Israel; e saberá toda esta congregação que o SENHOR salva (y’hoshiya)não com espadanem com lança; porque do SENHOR é a guerra, e ELE vos entregará na nossa mão. E sucedeu que, levantando-se o filisteu, e indo encontrar-se com David, apressou-se David, e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu (sabia que Maior era o que estava nele do que aquele que estava com o gigante). E David pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra (a de esquina, a Principal Pedra Angular, testada e aprovada – YEHOSHUA ‘era aquela pedra’) e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa(“porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua Semente; Esta te ferirá a cabeça, e tu LHE ferirás o calcanhar” – Gênesis 3.15), e caiu sobre o seu rosto em terra. Assim David prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, eferiu o filisteu, e o matou, sem que David tivesse uma espada na mão. Por isso correu David, e pôs-se em pé sobre o filisteu, e tomou a sua espada, e tirou-a da bainha, e o matou, e lhe cortou com ela a cabeça; vendo então os filisteus, que o seu herói era morto, fugiram. Então os homens de Israel e Judá se levantaram, e jubilaram, e seguiram os filisteus, até chegar ao vale, e até as portas de Ecrom; e caíram os feridos dos filisteus pelo caminho de Saaraim até Gate e até Ecrom. Então voltaram os filhos de Israel de perseguirem os filisteus, e despojaram os seus arraiais. E David tomou a cabeça do filisteu, e a trouxe a Yerushalaim; porém pôs as armas dele na sua tenda… Voltando, pois, David de ferir o filisteu, Abner o tomou consigo, e o trouxe à presença de Saul,trazendo ele na mão a cabeça do filisteu” (1 Samuel 17.8,16,26,45-54,57).
Por 40 dias (tempo de juízo sobre o reino de Shaul e sua incredulidade e falta de discernimento de quem era no SENHOR), esteve Golias desafiando as companhias de Israel. Mas só David percebeu que ele estava afrontando às fileiras de batalha do DEUS Vivo. E, porque sabia quem era do seu Comandante em Chefe, enfrentou Golias, o filisteu, não com suas armas ou com sua força (ele sabia que nada poderia fazer por si só; continuou a demonstrá-lo e sua dependência ao SENHOR durante seu tempo de reinado sobre Yehudah e, depois, sobre todo Israel. Constantemente, buscava as diretrizes de YHVH para as batalhas, para o reino), mas o enfrentou no Nome que está sobre todo o nome que se nomeia no céu, na Terra e debaixo da Terra e diante de Quem todo joelho se dobra e toda língua confessa Seu Senhorio (Filipenses 2.9-11), no Nome que conquistou todo o poder no céu e na Terra (Mateus 28.18), no Nome dAquele que morreu desde antes da fundação do mundo, ainda que manifesto nos tempos determinados pelo PAI (1 Pedro 1. 17-21), do SENHOR dos Exércitos, dAquele a Quem a guerra pertence, dAquele que ordena a guerra, o DEUS das batalhas e das companhias de guerra de Israel.
Mas, gostaria de chamar-lhes a atenção para duas coisas:
A)      por que David tomou a cabeça de Golias e a levou para Jerusalém?
B)      por que tomou as armas do gigante para si e as levou para sua tenda?
Essas perguntas podem estar relacionadas ou não ao tempo em que isso foi feito.
Se formos considerar o tempo e o contexto, o jovem David, em cerimônia privada, já havia sido ungido ‘rei’ por Shmuel (Seu Nome é DEUS e/ou DEUS o ouviu) e, a partir daquele momento, o Espírito de YHVH se apoderara dele (1 Samuel 16.13), embora não exercesse o ofício, pois Shaul era rei sobre Israel; Jerusalém (Jebus) não era possessão exclusiva de Israel, pois a tribo de Bin’yamin, de onde Shaul procedia, não expulsara os jebusitas por completo, vivendo os filhos de Yehudah entre eles (Josué 18.2815.63).
A) por que David tomou a cabeça de Golias e a levou para Jerusalém?
Alguns consideram que David tenha levado a cabeça de Golias para Jerusalém depois de conquistar Jerusalém, depois de reinar sete anos sobre Yehudah em Chevron e depois de ser conclamado rei sobre todo Israel (2 Samuel 5.1-12; 1 Crônicas 11.3-9). As armas, as teria tomado para si, quando teve que fugir da presença de Shaul. Creio que a sequência dos fatos não tem importância, pois, mais relevante é a razão pela qual ele tomou a cabeça do gigante e a levou a Yerushalaim, enquanto suas armas, as levou para sua tenda.
Voltando um pouco na história, há cinco anos, mesmo sem ter entendimento, o SENHOR me fez fazer umadeclaração sobre os filisteus, como justificativa para não utilizar o nome ‘palestinos’ em referência aos árabes que vivem em Israel (tais árabes alegam ser descendentes diretos dos filisteus, os antigos donos das terras de Israel, a fim de legitimar seu direito de posse territorial anterior aos descendentes de Avraham, Itschaq e Yaacov-Israel; como se isso fosse anular o direito de posse irrevogável e eterno que o próprio DEUS de Israel, o genuíno Dono daquelas terras, dera aos descendentes de Israel). A declaração foi:
‘David destruiu Golias e os filisteus. YEHOSHUA já destruiu os golias e os filisteus na cruz do Calvário!’A conexão entre esses dois fatos, creio que posso explicar agora, pelo Espírito de YHVH.

Quando David foi ungido por Sh’muel, Ruach YHVH o tomou e o guiou. Logo, algumas ações suas, mesmo que sem entendimento, tiveram propósitos proféticos, apontando para algo que sucederia em plenitude no futuro! Pode-se dizer que David (querido, amado amigo, favorito) tipificou a YEHOSHUA em Sua primeira vinda (‘Eis o Meu Filho Amado, em Quem Me comprazo’ – Mateus 3.17; ‘Já não vos chamo servos, mas amigos’ – João 15.15) e, por sua vez, Shlomoh (paz, homem de paz) tipifica YEHOSHUA em Sua segunda vinda (2 Samuel 7.12-14a,15,16; Isaías 9.6,7Apocalipse 1.13-1811.15).
No passado, as cabeças de governantes e/ou poderosos militares inimigos derrotados em batalhas eram tomadas como despojo de vitória; às vezes, eram dependuradas em altas estacas à frente da cidade do conquistador para demonstrar autoridade e o grande poder que havia nos líderes daquele lugar, a fim de causar temor e terror aos viajantes e a todos os exércitos que intentassem atacar tal território.
Creio que David tinha isso em mente (despojo de vitóriaautoridade e grande poder) quando levou a cabeça do gigante filisteu a Jerusalém (Jebus), cidade cujo rei Adoni-Tsedeq (meu senhor é justiça) havia sido destruído com tal poder por Yehoshua (Josué) na batalha contra os cinco reis (de Yerushalaim, Chevron, Lachish, Yarmut, Eglon) que se levantaram para atacar os gibeonitas, com quem Israel estava aliançada. Naquele dia, tal era o zelo de Yehoshua pela causa do SENHOR, que ordenou que o sol parasse sobre Giv’on e a lua parasse sobre o vale de Ayalon. E YAH escutou a voz de um homem, e o sol ficou parado por quase todo o dia, até que Israel tivesse exterminado todos os inimigos, pois ELE pelejava a favor do Seu povo Israel (Josué 10.13,14).
Ao se recordar da forma maravilhosa e poderosa como YAH foi com Israel, David também lembrou-se de que todas as cidades (Chevron, Lachish, Yarmut e Eglon) foram conquistadas na sequência da morte de seus reis (depois daquela batalha), mas não completamente Yerushalaim (“Não puderam, porém, os filhos de Yehudah expulsar os jebuseus que habitavam em Yerushalaim; assim habitaram os jebuseus com os filhos de Yehudah em Yerushalaim, até o dia de hoje” – Josué 15.63).  Por esta razão, sabendo que YAH lhe dera vitória sobre o gigante filisteu, de uma forma tremenda e miraculosa, levou sua cabeça, como despojo de vitória, àquela cidade para que ela soubesse que O Mesmo que entregara o gigante em suas mãos, entregaria aquela cidade para domínio pleno de Israel. Recordemo-nos que ele estava sendo guiado pelo Espírito Santo, ainda que sem pleno entendimento!
Mas, Yehoshua (Josué), ao matar os reis daquelas cidades, declarou: “E sucedeu que, trazendo aqueles reis a Yehoshua, este chamou todos os homens de Israel, e disse aos capitães dos homens de guerra, que foram com ele: Chegai, ponde os vossos pés sobre os pescoços destes reis. E chegaram, e puseram os seus pés sobre os pescoços deles. Então Yehoshua lhes disse: Não temais, nem vos espanteis; esforçai-vos e animai-vos; porque assim o fará o SENHOR a todos os vossos inimigos, contra os quais pelejardes. E, depois disto, Yehoshua os sufocou até a morte e os dependurou em cinco madeiros; e permaneceram dependurados nos madeiros até a tarde. E sucedeu que, ao pôr do sol, deu Yehoshua ordem que os tirassem dos madeiros; e lançaram-nos na cova onde se esconderam; e puseram grandes pedras à boca da cova, que ainda ali estão até o dia de hoje” (Josué 10.24-26)
Quando David tomou o sinal e despojo da vitória (a cabeça do gigante), para consagrá-lo ao SENHOR, o fez em Jerusalém, guiado pelo Espírito, como sinal profético do que aconteceria naquele lugar. O ato de David:
ü  anunciava a todos os povos sua vitória sobrenatural sobre os filisteus;
ü  manifestava a escolha do SENHOR por Jerusalém, ao ponto de que, quando o reino de Shlomoh se desviou do SENHOR, ELE guardou Sua promessa feita a David (2 Samuel 7), mantendo um remanescente da casa de David e preservando Jerusalém como Sua escolha:
Porém todo o reino não rasgarei; uma tribo darei a teu filho, por amor de Meu servo David, e por amor a Yerushalaim, que tenho escolhido… Porém ele terá uma tribo, por amor de David, Meu servo, e por amor de Yerushalaim, a cidade que escolhi de todas as tribos de Israel… E a seu filho darei uma tribo; para que David, Meu servo, sempre tenha uma lâmpada diante de Mim em Yerushalaim, a cidade que escolhi para pôr ali o Meu Nome” (1 Reis 11.13,32,36).
Mas por amor de David o SENHOR seu DEUS lhe deu uma lâmpada em Yerushalaim, levantando a seu filho depois dele, e confirmando a Yerushalaim. Porquanto David tinha feito o que era reto aos olhos do SENHOR, e não se tinha desviado de tudo quanto lhe ordenara em todos os dias da sua vida, senão só no negócio de Urias, o heteu” (1 Reis 15.4,5).
ü  proclamava a Soberania de ELOHEI Israel sobre Jerusalém, que possuiria um verdadeiro Rei de Justiça e Rei de Paz, segundo a ordem de Malkiy-Tsedeq (Meu Rei é Justiça – Hebreus 7.1-3,11-17) e não como Adoni-Tsedeq (meu senhor é justiça), antigo rei dos filisteus:
E o DEUS de paz esmagará em breve satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso SENHOR JESUS CRISTO seja convosco. Amém” (Romanos 16.20a);
ü  apontava para a promessa de YHVH à serpente, feita no Jardim do Éden, cujo centro, onde se encontra a Árvore da Vida, é Jerusalém:
porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua SementeEsta te ferirá a cabeça, e tu LHE ferirás o calcanhar” (Gênesis 3.15);
ü  era alusão à cruz – a cabeça numa estaca – YEHOSHUA foi posto numa estaca, lugar de maldição, para matar a morte, o trunfo de satanás que escravizava o homem e o impedia de adorar ao seu Criador. O veneno que escravizava o homem, a morte, deveria ser o veneno a destruir satanás por meio da vitória de CRISTO na cruz do Calvário;
ü demarcava o lugar da crucificação, no ‘lugar da cabeça’:
Então, consequentemente entregou-lhO, para que fosse crucificado. E tomaram a YEHOSHUA, e O levaram. E, levando ELE às costas a Sua cruz, saiu para o ‘lugar de gulgolet (cabeça, crânio),que em hebraico se chama Galgaltah (Gólgota), onde O crucificaram, e com ELE outros dois, um de cada lado, e YEHOSHUA no meio. E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: YEHOSHUA HaNatsriy Mélech HaYehudiym (JESUS NAZARENO REI DOS JUDEUS)” (João 19.16-19).
No hebraico, ‘gulgolet’ significa cabeçacrâniocaveira. Por que se chamava aquele o ‘lugar da caveira’? Ainda que fosse prática comum na época, o cravar uma cabeça à porta de uma cidade (pelas razões acima descritas), o Espírito Santo só registrou uma cabeça sendo levada e colocada em Jerusalém, a de Golias. Certamente, com o tempo, o que foi uma cabeça, transformou-se em um crânio seco (caveira). E daí o nome do lugar (além de sua aparência)!
Desde o princípio da Brit Chadashah (Nova Aliança) (Mateus 1.1) até seu fim (Apocalipse 22.16) YEHOSHUA é identificado como o Filho de Davida Raiz e o Descendente de David, aquele que foi o maior rei de Israel, o maior guerreiro, o mais íntimo servo de YHVH, o homem segundo o coração de DEUS,tipificando o Filho do DEUS Vivo que haveria de vir e morrer, no ‘lugar da cabeça’ (caveira, crânio), sobre ela, esmagando satanás sob Seus pés, destruindo-o com o mesmo veneno com que controlava a humanidade, a morte que é o salário do pecado: “Tragada foi a morte na vitória (de CRISTO JESUS, fincado no madeiro, como foi a cabeça de Golias, morto, sepultado e ressurreto num corpo glorificado, assunto ao céu e sentado à destra do PAI). Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a DEUS que nos dá a vitória por nosso SENHOR JESUS CRISTO” (1 Coríntios 15.54-57). Este foi o cumprimento profético do ato de David, da consagração do despojo da vitória a YHVH, Aquele que vencera direcionando a pedra que cravou a cabeça do gigante filisteu e conduziu os passos de David para escolher o lugar em que a vitória plena se daria.
Tudo estava ali: o rei David vitorioso (apontando para o REI JESUS vitorioso – ‘no mundo terei aflições, mas tende bom ânimo, EU venci o mundo’, disse JESUS poucas horas antes de morrer – João 16.32. Além disso, sabia que ‘o PAI não O deixaria ver corrupção’ – Salmo 16.10), cravando a cabeça na estaca(JESUS, a ‘serpente de Moshe’, vestido de nossos pecados, cravado e levantado na estacaness =milagre, morrendo com eles e por eles, levando-os conSigo ao hades, tirando o pecado do mundo e, com ele, seu salário, a morte), no lugar escolhido (JESUS no Galgaltah), fora da cidade de Jerusalém, para todos a olharem e temerem e serem alertados e atraídos a ela para salvação (cura, libertação, transformação) pela fé no ‘milagre’ erguido na haste. O milagre não era a serpente erguida, ou a cabeça de golias, ou o pecado cravado, mas seu juízo e de suas obras, era o próprio DEUS dependurado para julgar, no nível de Suas exigências, a satanás e suas obras terríveis no meio dos homens.
A vista da serpente – cabeça – JESUS ‘no milagre’, em arrependimento, fé e temor, era/é garantia de cura, salvação, libertação e a entrada na cidade de Jerusalém, a partir da qual JESUS reinará por mil anos sobre todas as nações.

B) por que tomou as armas do gigante para si e as levou para sua tenda?
Primeiramente, David usou a espada de Golias para matá-lo e decapita-lo – a mesma espada antes utilizada para destruir a tantos outros homens, agora era a lâmina que passava o pescoço de seu próprio dono. A serpente de bronze (julgada) tinha que ser levantada para salvar aqueles que eram picados por serpentes e olhavam para ela em fé, crendo que seriam sarados. JESUS Homem teve que ser crucificado no madeiro, carregar o veneno do nosso pecado, morrer a nossa morte, receber o nosso salário, a morte, para que todo o que O vê, nELE crê não pereça mas tenha a vida eterna, que é conhecê-lO e Àquele que O enviou, DEUS PAI’. A mesma arma que satanás usou, essa foi usada contra ele, para o derrotar.

Novamente, a questão do tempo em que ele pôs as armas que foram do gigante Golias ‘em sua tenda’ pode ser relevante. Acredita-se que a ‘tenda’ de 1 Samuel 17.54 (toda ela profética, se referindo a tempos mediatos) se referia ao tabernáculo de David, uma vez que a espada de Golias estava na presença do SENHOR, na tenda da Congregação, em Nov, quando David fugia de Shaul que o queria morto (1 Samuel 21.8,922.9,10). Então, David tomou a espada de Golias e a usou para seguir e destruir os filisteus eoutros inimigos de YHVH, a quem o próprio SENHOR entregava em suas mãos, porquanto lutava as ordens de batalha de YHVH (1 Samuel 23.1-527.7-930.1,6-8,11-20).
A mesma arma que o gigante filisteu quis destruir David foi aquela que destruiu muitos de seu povo e de outras nações inimigas de DEUS. O veneno que satanás quis usar para destruir seus inimigos foi o veneno usado para destruir seus aliados. Mas, essa arma inimiga que nos serve para combater o inimigo (quer em nossas vidas quer na de outros) deve ser rendida ao SENHOR, deve permanecer aos pés do SENHOR, como a espada de Golias foi consagrada, como despojo de guerra, e esteve atrás do éfode (das vestes sacerdotais).
Éfode ou manto sacerdotal (Êxodo 28.6-14) é feito de fios de lã azul, púrpura e vermelha, linho fino e fios de ouro entrelaçados. O éfode sustenta o peitoral (com as 12 pedras preciosas correspondentes às 12 tribos de Israel) que está na altura do coração, e duas ombreiras, que conectam as partes traseira e dianteira do manto, sobre as quais há duas pedras de ônix engastadas em suporte de ouro que contêm os nomes de seis tribos de Israel em cada lado. Esse é o papel do sacerdote – apresentar o povo de DEUS diante dELE, sustentando-o e intercedendo por ele. Essa tarefa só pode ser eficientemente realizada se em conexão com o SENHOR JESUS CRISTO, o Sumo Sacerdote pleno, segundo a ordem de Malkiy-Tsedeq, para Quem apontam todos os detalhes, utensílios e materiais utilizados no tabernáculo e na veste sacerdotal. Foi isso o que fez David, ao tomar a espada de Golias (a arma do inimigo, usada para destruí-lo – como fez JESUS no madeiro sobre o Galgaltah) detrás do éfode, assumindo a responsabilidade de defender o povo de DEUS e a pelejar as ordens de batalha do Todo Poderoso!
Não podemos nos valer das armas e estratégias do inimigo sem que elas tenham, antes passado aos pés da cruz, porque continuarão a ser armas e estratégias inimigas. A serpente de bronze (julgada) teve que ser levantada na haste (no milagre), para que pudesse curar. A espada de Golias teve que ficar sob as vestes sacerdotais para que pudesse ser usada pelo ungido do SENHOR e trazer libertação ao povo de DEUS. JESUS Homem, sem pecado, consagrado plenamente ao PAI, carregando o pecado do mundo, teve que ser levantado da terra, pendurado no madeiro, para atrair muitos a ELE, ao reconhecerem que somente ELE poderia, por Sua morte, tirar o pecado do mundo e, ressurreto, vencer o último inimigo, a morte, a separação eterna entre o PAI e Sua criação.
Assumamos nosso papel sacerdotal, ligados em CRISTO JESUS, o Sumo Sacerdote de nossas almas, para clamar e interceder por aqueles que leem a Palavra mas não têm entendimento dela. Que o SENHOR derrame de Sua sabedoria, de Seu discernimento para revelar-Se aos judeus, leitores e estudiosos da Torah, pois as Escrituras testificam dELE – “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam” (João 5.39). “E a vida eterna é esta: que Te conheçam, a Ti só, por Único DEUS Verdadeiro, e a JESUS CRISTO, a Quem enviaste” (João 17.3). Que conheçam ao SENHOR e ao Seu Ungido, o MESSIAS de Israel.
O SENHOR confirmou Jerusalém como Sua escolha pessoal, e a linhagem de David, da qual ‘descende’ o MESSIAS de Israel, YEHOSHUA/YESHUA. Que judeus (líderes, povo, religiosos), ao verem o monte da caveira, bem na porção oriental da cidade de Jerusalém, lembram-se de que David depositou o despojo da vitória ali, como ato profético para anunciar que aquela terra pertence ao SENHOR, o DEUS Todo Poderoso que a escolheu para Si; lembrem-se de que David, seu patriarca e rei, um jovem e pequeno pastor de ovelhas, ousado no SENHOR porque conhecia o valor, o significado da aliança que tinha com o DEUS da terra, que conhecia a ELOHEI Israel, venceu sobrenaturalmente ao gigante filisteu e que ela, a jovem e tênue Israel pode vencer os gigantes à sua volta, da mesma forma que David, no Nome de YHVH Tevaot (SENHOR dos Exércitos)ELOHEI Maarchot Israel (DEUS das batalhas, da formação, da ordem de guerra de Israel). Como David, que se disponham a conhecer ao SENHOR com Quem estão aliançados e possam tomar a Sua causa, para que as nações saibam que há DEUS em Israel, não como os deuses das nações, que não são deuses, senão gangues nas mãos de satanás, seu líder, mas o Único e Verdadeiro DEUS, Criador do Universo.
Na leitura da Torah da semana passada, o sacerdote Pinchas (Finéias), filho de El’azar, filho de Aharon, assumiu seu papel sacerdotal diante do SENHOR e do povo, na questão das mulheres midianitas compartilhando o leito dos israelitas (“Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, desviou a Minha ira de sobre os filhos de Israel, pois foi zeloso com o Meu zelo (qin’ah = ciúme, calor, ardor, paixão, zelo) no meio deles; de modo que, no Meu zelo, não consumi os filhos de Israel. Portanto dize: Eis que lhe dou a Minha aliança de paz; e ele, e a sua descendência depois dele, terá a aliança do sacerdócio perpétuo, porquanto teve zelo pelo seu DEUS, e fez expiação pelos filhos de Israel” – Números 25.11-13) e foi zeloso nas questões do SENHOR, apresentando sacrifícios de rendição, louvor e concordância ao SENHOR. A palavra hebraica qin’ah, quando na inclinação da carne, significa inveja (Provérbios 23.17) e dista diametralmente da paixão ardente e zelosa que o SENHOR gera por Sua causa em corações servis, inclinados a LHE obedecer e ver Seu Nome glorificado (como era o coração de DavidPinchas – dois homens que, por sua atitude para com DEUS, receberam dELE promessas eternas sobre suas descendências: de governo e sacerdócio, respectivamente). Clamemos por nossas vidas, para que o zelo da Casa do SENHOR nos consuma. Que mais e mais crentes em YEHOSHUA sejam conscientes e zelosos de Seu reino. Que o SENHOR desperte Seu zelo sobre cada judeu, para que sejam levantados a pelejar Suas pelejas, com o mesmo Espírito que estava sobre David e Pinchas, para que somente o Nome do SENHOR seja glorificado.Amém!
Que o ardente zelo do SENHOR, um ciúme santo seja colocado sobre os líderes em Israel, para que não abram mão de qualquer milímetro de terra que pertence a YHVH. Sejam zelosos pelos assuntos do Altíssimo, em Nome do SENHOR JESUS – “Então os governadores de Judá dirão no seu coração: Os habitantes de Jerusalém são a minha força no SENHOR dos Exércitos, seu DEUS. Naquele dia porei os governadores de Judá como um braseiro ardente no meio da lenha, e como um facho de fogo entre gavelas; e à direita e à esquerda consumirão a todos os povos em redor, e Jerusalém será habitada outra vez no seu lugar, em Jerusalém” (Zacarias 12.5,6)
Que Israel pare de buscar a justiça própria, fazer as coisas de seu jeito, mas sujeitar-se, moldar-se à justiça de DEUS, porque são zelosos, mas sem entendimento. Que sobre eles venha o espírito de revelação, de entendimento, de discernimento, de sabedoria, para que alcancem a salvação nAquele que é a Justiça de DEUS, YEHOSHUA: “Irmãos, o bom desejo do meu coração e a oração a DEUS por Israel é para sua salvação. Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de DEUS, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a Justiça de DEUS, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à Justiça de DEUS. Porque o fim da lei é CRISTO para justiça de todo aquele que crê” (Romanos 10.1-4).

Tomai a soma de toda a congregação dos filhos de Israel, da idade de vinte anos para cima, segundo as casas de seus pais; todos os que em Israel podem sair à guerra” (Números 26.2)
Desde 60 anos atrás, quando o então 1º Ministro de Israel, Ben Gurion, comprometeu-se em isentar estudantes judeus ultra ortodoxos nas yeshivot (escolas para formação rabínica) do serviço militar obrigatório, um severo ressentimento têm crescido no meio da população religiosa e secular, que não pode isentar-se do serviço militar aos 18 anos e deve permanecer como reservista ativa até os 45 anos (mulheres e homens). Por pressão popular (50.000 manifestantes nas ruas de Tel Aviv, semana passada, para reivindicar mudanças nessa lei, alegando que aqueles que não servem, embora desfrutem de todos os direitos e benefícios da cidadania, não assumem a responsabilidade em defender o país).
A minoria ultra-ortodoxa serve, voluntariamente o país (quer com trabalhos civis em órgãos púbicos ou nas FDI) e pagam impostos. O mesmo acontece com os árabes israelenses. Sabendo-se que o índice de natalidade é elevadíssimo entre essas populações (maior no meio ortodoxo do que árabe), um desarranjo sócio econômico severo é esperado, se nada for feito agora.
A lei Tal, estabelecida há 10 anos, para fazer com que os alunos das yehivot, aos 22 anos, escolhessem entre o serviço militar (16 meses) e o serviço civil remunerado (12 meses), mostrou-se ineficiente por permitir que os jovens indefiram o serviço por tempo indefinido. E a Suprema Corte declarou tal lei inconstitucional, requerendo uma nova lei para 1º de agosto.
Um dos acordos para a coalisão governamental de Netanyahu era a garantia de que esta questão fosse tratada com sobriedade e brevidade. Entretanto, semana passada, Netanyahu (que sempre esteve coligado aos partidos ultra-ortodoxos) desfez a comissão especial levantada para criar um projeto de lei, sem consultar seu vice-1º ministro, Shaul Mofaz, líder do Kadima que, furioso, ameaçou desfazer a coalisão.
Esse é um período favorável a reformas políticas, sociais, militares, por causa da coalisão nacional. Que Netanyahu e os dirigentes em Israel não legislem em causa própria, mas para o que é melhor para a população. Sabedoria, ousadia no governo para fazer o que é justo e não o que simplesmente agrade.
Clamemos para que as pessoas cujas vidas serão alteradas pela nova lei (árabes e ultra-ortodoxos) tenham corações moldáveis, ensináveis, dispostos a mudanças e favoráveis às mesmas. Toda a rebeldia seja amarrada e manietada, em Nome do SENHOR JESUS e haja lugar para novidade de vida, em atitudes pacíficas de aceitação e submissão.
Esse é um tempo delicado e perigoso para o governo de Netanyahu. Pela posição pró-Bíblica e pró-DEUS que tem assumido, Netanyahu é alvo dos ataques de satanás, para sua destruição e de seu governo. Portanto, clamemos pela vida de Netanyahu, que não se desvie nem para a direita nem para a esquerda, mas caminhe nos passos que o SENHOR projetou para ele; que toda arma forjada contra ele e seu ministério caia por terra, em Nome do SENHOR JESUS.
Que toda influência espiritual maligna que está sobre os céus de Jerusalém e Israel e que tem controlado e guiado as atitudes dos políticos em Israel sejam substituídas, agora, pelas hostes celestiais do Comandante em Chefe dos Exércitos do DEUS Vivo, e sob nova influência, os líderes sejam guiados a fazer o que é justo, digno e honroso ao nosso DEUS, ELOHEI Israel.
Que o SENHOR cerque Netanyahu e seu ministério de conselheiros idôneos, honestos, equilibrados, que conhecem ao DEUS de Israel e capacitados pelo Espírito Santo para dar bons conselhos, como aqueles que cercavam o rei Davi. O Conselheiro Supremo atinja o coração de Netanyahu e o guie a toda a verdade (Isaías 9.6João 8.31,32)
Que o SENHOR dê um coração íntegro e sábio a Netanyahu, para que ele possa ‘compreender e julgar o povo de YHVH, discernindo entre o bem e o mal’ (1 Reis 3.9).
Que todas as conexões ocultas de Netanyahu com judeus ortodoxos cabalistas (feiticeiros) que o impedem de tomar a decisão que vem do Alto, sejam quebradas irreparavelmente, em Nome do REI JESUS, e ele seja livre para ouvir o sopro do Espírito dizendo: ‘Este é o caminho, andai por ele’ (Isaías 30.21).
Que todas as malignas dependências de homens e governos por parte de Netanyahu e Israel caiam por terra, em Nome do SENHOR JESUS. Aprendam eles a buscar, confiar, depender, esperar por ELOHEI Israel, como fizeram os patriarcas de Israel.
Que Netanyahu e os líderes em Israel tenham a coragem e a ousadia (como teve Josué 1.6,7) de ‘colocar-se no caminho e perguntar pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, para andar por ele, a fim de que achem descanso para suas almas e as do povo’ (Jeremias 6.16), para promover mudanças que gerem vida!
Seja o SENHOR escudo para Netanyahu e toda sua casa, guardando-os de todo o mal e de toda a tentativa maligna de os remover de Israel, em Nome do SENHOR JESUS. Que estejam com suas mentes firmes em ELOHEI Israel, por confiar nELE, conservando-lhes em perfeita paz (Isaías 26.3).
Seja isso sobre as vidas dos líderes em Israel: “Muitos propósitos há no coração do homem, porém oconselho do SENHOR permanecerá... Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o Seu querer” (Provérbios 19.2121.1) – decisões e atitudes estejam todas alinhadas ao perfeito querer do nosso SENHOR, ELOHEI Israel.
Capacite o SENHOR aqueles que estão projetando a nova emenda, para que o façam em retidão de coração, justiça e honra, recordando-se de que é isso que ELOHEI Israel espera do homem – “ELE te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu DEUS?” (Miquéias 6.8). Todos aqueles que não têm coração reto para com o SENHOR sejam removidos e peçam dispensa dessa comissão, em Nome do SENHOR JESUS.
Que o SENHOR faça de Israel (judeus e gentios que lá vivem) um só povo, um só coração, para a glória do Seu Nome (Ezequiel 37.19).
Ainda te edificarei, e serás edificada, ó virgem de Israel! Ainda serás adornada com os teus tamboris, e sairás nas danças dos que se alegram. Ainda plantarás vinhas nos montes de Samaria; os plantadores as plantarão e comerão como coisas comuns. Porque haverá um dia em que gritarão os vigias sobre o monte de Efraim: Levantai-vos, e subamos a Sião, ao SENHOR nosso DEUS” (Jeremias 31.4-6)
Louvado seja o SENHOR que o processo de retirada das famílias de Ulpana foi pacífico e as famílias foram instaladas em Beit El. Algumas casas também puderam ser deslocadas. Glórias ao SENHOR!
Como aconteceu com o povo no regresso do cativeiro babilônico, que recebeu autorização especial para reconstruir as cidades arruinadas e edificar o templo (Ciro), foram sucessivos os ataques inimigos e manipulações diplomáticas para paralisar a obra de edificação dos muros das cidades e do templo (vide Neemias, Esdras, Ageu, Zacarias) e levar os líderes estrangeiros a decretar a suspensão a obra (Artaxerxes). Por investigação da verdade, o rei Dario encontrou o decreto de Ciro e permitiu que a construção continuasse. Como a história se repete, vemos o decreto da comunidade internacional (1920 a 1922) permitindo que um lar nacional judaico fosse edificado em terras de seus antepassados, incluindo as áreas de Judéia e Samaria (como mencionei no informe passado). Esses direitos foram decretados pela comunidade internacional e têm peso de lei internacional e nunca foram revogados ou alterados. Entretanto, a oposição inimiga tem se levantado ao largo de quase um século, com manobras e manipulações políticas para impedir a tomada de posse plena de Judéia e Samaria.
Um grupo de juristas estabeleceu, legalmente, uma ‘comissão para examinar o status da construção em Judéia e Samaria’. Semana passada a verdade começou a vir à tona. O relatório dessa investigação declarou que Israel não é um ‘conquistador ilegal’ em Judéia e Samaria, de acordo com a lei internacional e que osassentamentos judaicos ali não violam a mesma lei internacional. De acordo com esse relatório, os assentamentos são legais sob a lei internacional e recomendou que o governo impeça a demolição de postos avançados e vilas distantes, consideradas ‘ilegais’ atualmente.
Louvado seja o SENHOR que está movendo nos juízes de Israel! O líder dessa comissão é o ex-juiz da Suprema Corte, Edmund Levy. Certamente, partindo de um ex-juiz da Suprema Corte é algo inusitado e histórico, lembrando que os juízes que a compõem são contrários à ocupação de Judéia e Samaria.
Líderes do governo estão recebendo muito bem tal relatório e pedindo a Netanyahu que o mesmo passe em apreciação pelo Comitê Ministerial sobre Assentamentos, criado recentemente, a fim de dar estabilidade aos milhares de colonos que vivem na expectativa de expulsão, além de corrigir as injustiças aleatórias de desapropriações feitas no passado. Infelizmente, os partidos de esquerda desaprovaram o relatório, a fim agradarem seus patrocinadores internacionais (norte-americanos, europeus e árabes). Desafortunadamente, Hillary Clinton visitará Israel esta semana, trazendo consigo pacotes de desaprovações e recomendações, para manipular, mais uma vez, Israel e a opinião púbica interna e externa. Clamemos para que toda a agenda maligna desta manipuladora jezabel seja frustrada, em Nome do SENHOR JESUS. Que seus planos, suas maquinações, suas seduções para nada sirvam e todos de Israel a elas resistam, como fez Jeú, o enviado do SENHOR para punir as maldades e feitiçarias de jezabel, em Nome do SENHOR JESUS (2 Reis 9.30).
Que nesse momento, quando a verdade começa a ser revelada e legalizada, que os corações e intenções de todos sejam revelados, para que saiba quem é por DEUS e quem é por satanás. E o povo discirna e escolha por YHVH.
Para que o relatório seja adotado, deverá ser submetido à revisão e aprovação do Procurador Geral de Justiça de Israel, Yehuda Weinstein. Novamente, a batalha se trava com a Suprema Corte. Clamemos para que o temor do SENHOR, que é o princípio da sabedoria, recaia sobre o procurador geral e ele decida agradar a DEUS e não aos homens. Esse relatório é a constatação para Israel do que a comunidade internacional decretou há anos, e a interiorização dessa autorização legal internacional. Portanto, que o SENHOR incline o coração do procurador geral para que Sua perfeita vontade (aquela que tem anunciado em Sua Palavra, como as Escrituras em Jeremias 31 acima referidas), para a glória de Seu Nome Eterno e Soberano.
Continuemos a clamar pela restauração da casa de juízes em Israel - “E te restituirei os teus juízes, como foram dantes; e os teus conselheiros, como antigamente; e então te chamarão cidade de justiça, cidade fiel” (Isaías 1.26)
Que a verdade sobre Judéia e Samaria continue a ser exposta, a fim de que judeus possam edificar Judéia e Samaria de acordo com as profecias bíblicas. Que pesquisas pela comunidade israelense e pela comunidade internacional com respeito às decisões que foram tomadas e que têm peso de lei internacional, portanto, devendo ser obedecidas (como as elaboradas em San Remo e que nunca foram anuladas, revogadas ou alteradas), sejam largamente divulgadas e adotadas (Ezra 5.17).
Que o SENHOR livre Netanyahu de ir contra Sua vontade e adote o relatório, independente da pressão norte-americana ou de outros – “Porque o cetro da impiedade não permanecerá sobre a sorte dos justos, para que o justo não estenda as suas mãos para a iniqüidade” (Salmo 125.3).

20.07 a 18.08 deste ano, segundo o calendário lunar islâmico, compreende-se o mês sagrado (nono do calendário islâmico) e a celebração da revelação do corão (o livro sagrado do islamismo). Durante esse período, os muçulmanos jejum durante o dia, rezam, leem e meditam no corão, se consagram mais intensamente a allah, quebrando o jejum à noite. Infelizmente, por causa do deus violento a quem servem, aumenta-se a violência nesse período por parte dos seus seguidores contra os infiéis do sábado (judeus) e do domingo (cristãos). Essa religião não é pacífica, mas violenta e que propõe a jihad (guerra santa), com a finalidade de conquistar o mundo para allah, O deus islâmico, durante esse período, recebe mais e mais orações, sendo fortalecido, bem como os demônios que compõem suas hordas.

Clamemos pelo espírito de revelação derramado no coração dos que estão jejuando. Há muitas pessoas sinceras que desejam a Verdade. Que Aquele que é a Verdade remova o véu de cegueira sobre seus corações e durante esses 30 dias de jejum haja salvação, libertação, cura, unção, capacitação para que ganhem outras vidas para o SENHOR JESUS.
Clamemos para que o culto ‘à deusa lua’ (allah) cesse, em nome de JESUS CRISTO de Nazaré, o Único e Verdadeiro YAHVEH dos muçulmanos.
Clamemos para que tudo o que está em oculto com respeito ao islamismo e ao terrorismo sejam revelados e os seguidores vejam qual a religião a que servem.
Que as rezas que são dedicadas a allah e suas hordas não passem do chão, em Nome do SENHOR JESUS. Sejam enfraquecidos principados e potestades que controlam o islamismo, em Nome do SENHOR JESUS. Miríades e miríades dos anjos dos exércitos do Altíssimo sejam destacadas sobre nações islâmicas, interceptando as rezas feitas, para que não atinjam seu alvo e não danifiquem aos servos do DEUS Altíssimo. Que não haja fortalecimento do ininigo e que as trevas sejam dissipadas pelas ações benevolentes e amorosas dos santos de YHVH. Ao mesmo tempo, à medida em que buscam seu deus, com coração sincero, o véu da cegueira espiritual lhes seja arrancado. Lembre-se de que o islamismo prega a violência, a jihad (‘guerra santa’) para atingir seus propósitos de conquistar o mundo e subjugá-lo a allah. Com o ramadan e as rezas, há intensificação da violência, das ações de injustiça, do mal. Que o ADONAI YEHOSHUA Se revele a multidões de muçulmanos durante esse período – que se rendam aos pés da cruz e reconhecem a JESUS, o MESSIAS judeu, como o MESSIAS que eles também aguardam.
Que todo o espírito de violência seja atado, manietado e paralisado, em nome de JESUS CRISTO, e que seja substituído pelo espírito de quebrantamento e genuíno arrependimento, que só RUACH HaKÓDESH (Espírito Santo) pode derramar, e que YEHOSHUA HaMASHIACH Se revele sobrenaturalmente a judeus e muçulmanos, durante suas festas. “Levanta-te, ó YAHVEH, julga a Terra, pois a Ti compete a herança de todas as nações” (Salmo 82.8).
Que toda violência para a qual satanás pede alimento seja inibida, frutrada em Nome do SENHOR JESUS. Que haja paz e tranquilidade nos corações. Sejam envergonhados todos os inimigos do SENHOR durante esse período (Salmo 83.15,16).
Que haja multidões e multidões recebendo a revelação de que o Verdadeiro e Único MESSIAS é o de Israel, YEHOSHUA, e que não há outro além dELE (Atos 4.12)

E esta é a confiança que temos nELE, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a Sua vontade, ELE nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que LHE fizemos” (1 João 5.14,15)
Um dos eventos proféticos que estão acontecendo em nossos dias é a aliyah (regresso de cada judeu à terra de seus antepassados, Eretz Israel). E isso está ocorrendo para que se cumpra a profecia do SENHOR e para Sua glória e Sua honra. Orar pela aliyah é orar com a certeza da resposta, porque ELE a confirma por mais de 159 vezes em Sua Palavra.
Portanto, clamemos para que o SENHOR cumpra integralmente cada uma de Suas referências proféticas para a aliyah e que somente Seu Nome seja glorificado e engrandecido. E as nações saibam e entendam que‘Aquele que os espalhou é O mesmo que os está congregando’ (Jeremias 31.10)
Seja o SENHOR santificado entre as nações por estar trazendo Seu povo de volta a Israel. Como prometeu, não deixe ELE nenhum dos filhos de Avraham, Itschaq e Yaacov no cativeiro das nações, mas ajunte-os todos na terra dos antepassados de Israel, para a glória do Seu Nome: “Quando EU os tornar a trazer de entre os povos, e os houver ajuntado das terras de seus inimigos, e EU for santificado neles aos olhos de muitas nações, então saberão que EU sou o SENHOR seu DEUS, vendo que EU os fiz ir em cativeiro entre os gentios, e os ajuntarei para voltarem a sua terra, e não mais deixarei lá nenhum deles. Nem lhes esconderei mais a Minha face, pois derramarei o Meu Espírito sobre a casa de Israel, diz o SENHOR DEUS” (Ezequie 39.27-29)
Que venham os recursos das nações para auxiliar na obra da aliyah. Levante o SENHOR as instituições e organizações que estão auxiliando na aliyah com mais e mais recursos para que o trabalho seja executado. Esteja ele centuplicando, para a glória e honra do SENHOR JESUS.
Que todos os obstáculos que estão no caminho do retorno dos judeus messiânicos sejam removidos e tenham mentes e pés livres para fazer a aliyah. Esteja o SENHOR abalando tudo o que deve ser abalado nesse meio para que sejam convencidos pelo Espírito a fazerem aliyah – “Assim voltarão os resgatados do SENHOR, e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, a tristeza e o gemido fugirão” (Isaías 55.11; 35.10).
Que o SENHOR desperte os judeus na Europa para fazer a aliyah, antes que as ondas de antissemitismo sejam intensificadas. Que o SENHOR desperte os judeus de França (ocorrência de ataques diários em todo o país. Com o novo governo, eleito com o apoio dos muçulmanos, não se pode esperar medidas de contenção ou diminuição dos mesmos). Sejam despertos os judeus alemães que vejam na decisão da corte de tornar a circuncisão ilegal um ato de antissemitismo e que decidam deixar a Alemanha. Desperte também os judeus ingleses com a medida da igreja anglicana inglesa de apoiar o programa ecumênico em Israel e entre os árabes que vivem em Israel. Que o SENHOR utilize esses atos para despertar Seu povo no cativeiro das nações, para que entendam que são cativos e que precisam ser livres no SENHOR fazendo a aliyah, pois têm um encontro marcado com seu Redentor em Eretz Israel – “prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu DEUS. Porque eis aqui O Que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual seja o seu pensamento, o que faz da manhã trevas, e pisa os altos da Terra; o SENHOR, o DEUS dos Exércitos, é o Seu Nome” (Amós 4.12b,13).
Que o SENHOR abençoe e prospere a economia de Israel, para que possa absorver, com milhões de postos de emprego, a mão de obra jovem que está para retornar a Eretz Israel.
Que o SENHOR sustente aqueles que fizeram a aliyah, não obstante a todas as dificuldades, porque ELE é a porta da esperança – “E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias de sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito. E naquele dia, diz o SENHOR, tu Me chamarás: meu Marido; e não mais me chamarás: meu SENHOR” (Oséias 2.15,16).
Atraia de volta o SENHOR a Israel todos os yordi’im (israelenses que estão vivendo fora de Israel) – que não encontrem abrigo e conforto senão em Eretz Israel.
Que o Nome de YAHVEH seja santificado no meio das nações da Terra e em Israel mesmo por causa da aliyah, porque reconhecerão as nações o grande mover e bem que faz o SENHOR pela causa de Seu povo. E, não mais tenha Seu Nome profanado entre as nações – “E EU santificarei o Meu Grande Nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que EU sou o SENHOR, diz o SENHOR DEUS, quando EU for santificado aos seus olhos. E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra” (Ezequiel 36.23,24).
Se não fora o SENHOR, que esteve ao nosso lado, ora diga Israel; se não fora o SENHOR, que esteve ao nosso lado, quando os homens se levantaram contra nós, eles então nos teriam engolido vivos, quando a sua ira se acendeu contra nós. Então as águas teriam transbordado sobre nós, e a corrente teria passado sobre a nossa alma; então as águas altivas teriam passado sobre a nossa alma; Bendito seja o SENHOR, que não nos deu por presa aos seus dentes. A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos. O nosso socorro está no nome do SENHOR, que fez o céu e a Terra” (Salmo 124.1-8)
Que o SENHOR liberte Israel de todos os seus inimigos de perto e de longe, sendo-lhe seu Socorro bem presente na angústia, em Nome do SENHOR JESUS. Que Suas misericórdias se renovem a cada manhã, trazendo alento, refrigério, salvação e vida abundância. “Porque EU, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Yaacov, não sois consumidos” (Malaquias 3.6)
Que o DEUS Todo Poderoso, o SENHOR JESUS CRISTO, REI de toda a Terra nos console, nos conforte, nos fortaleça, nos revigore e nos guie a toda a verdade no dia que se chama hoje, para a glória e honra e louvor e adoração dELE mesmo, pois por ELE, para ELE, nELE, com ELE são todas as coisas, hoje e sempre. Amém.
Com amor e gratidão no MASHIACH de Israel, YEHOSHUA,
marciah malkah

Jessica Mendonça (159 Posts)


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio