Ore pela Paz de Jerusalém – Informe 01 a 15.12.2011

O SENHOR é Homem de Guerra; YHVH é o Seu Nome. Lançou no mar os carros de faraó e o seu exército; e os seus escolhidos príncipes afogaram-se no Mar Vermelho… A Tua destra, ó SENHOR, se tem glorificado em poder, a Tua destra, ó SENHOR, tem despedaçado o inimigo; e com a grandeza da Tua excelência derrubaste aos que se levantaram contra Ti; enviaste o Teu furor, que os consumiu como o restolho… O inimigo dizia: ‘Perseguirei, alcançarei, repartirei os despojos; fartar-se-á a minha alma deles, arrancarei a minha espada, a minha mão os destruirá’. Sopraste com o Teu vento, o mar os cobriu; afundaram-se como chumbo em veementes águas. Ó SENHOR, quem é como TU entre os deuses? Quem é como TU glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas? Estendeste a Tua mão direita; a terra os tragou

(Êxodo 15:3,4,6,7,9-12)

Começo a escrever esse informe hoje, dia 29 de novembro.

Em 29 de novembro de 1947, reunidas em assembléia estavam as nações da Terra para decidir o futuro dos judeus. Por 33 votos favoráveis, 13 contrários (a maioria nações árabes e islâmicas), 10 abstenções e uma ausência, a resolução 181 da partilha do mandato ‘palestino’, que garantia a criação de um Estado judaico e outro árabe (…e os árabes não aceitaram) em terras de Israel foi aprovada. Entretanto, o destino de Israel já havia sido traçado pelo Homem de Guerra, quando por boca do Seu profeta declarou: “Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos” (Isaías 66.8). ELE disse e ELE fez.

Hoje, por medidas satânicas, as nações tentam destruir aquilo que foi estabelecido por YAH há 64 anos, exigindo que Israel compartilhe seu território com árabes, incluindo o coração e os pulmões de Israel, Judéia e Samaria. Os árabes que vivem em Israel sempre rejeitaram as soluções de dois estados, desde o princípio, porque têm como finalidade assumir o controle de todo o território e sem judeus. As posturas de endurecimento, peculiares a yasser arafat, foram transmitidas plenamente ao seu sucessor, mahomoud abbas. Louvado e engrandecido seja YHVH, porque, assim como ELE endureceu o coração de faraó para que não deixasse Seu povo sair do Egito, também o endurecimento e a rejeição a vários acordos de paz oferecidos por líderes israelenses (incluindo a concessão de todas as exigências árabes, como oferecido pelo atual ministro da guerra, Ehud Barak, então 1º Ministro de Israel; e, mais recentemente, com o ex-1º Ministro Ehud Olmert) tem acontecido. Santo de Israel, halleluYAH!!!

Nunca foi plano de YAH ver Sua terra consagrada a deuses estranhos. Quando Israel prostituiu-se com os deuses das nações estrangeiras, YHVH os expulsou da Sua terra, para limpá-la, santificá-la para Si novamente. Hoje, o povo judeu está de volta, para que o Nome de YHVH, que foi profanado entre as nações da Terra, seja glorificado e elas saibam que há DEUS em Israel, o Único e Verdadeiro. ELE santificará Seu Nome no meio da terra de Israel, no meio de Seu povo, e as nações saberão que ELE é SENHOR único e absoluto (Ezequiel 36).

Os árabes que vivem em Israel nunca intentaram reconhecer Israel como o lar nacional dos judeus. Ao contrário, hoje, foi um dia de choro e lamentação e de desprezo à decisão da ONU, um ‘pecado’ de acordo com eles, ao mesmo tempo em que exigem o retorno de Israel às fronteiras da partilha por eles rejeitada.

Nunca foi a intenção dos árabes terem um estado independente naquela região. De acordo com fontes históricas, às vésperas da eleição da ONU, o rei Abdula da Transjordânia, bisavô do atual rei Abdula II, planejava invadir as terras a ocidente do Rio Jordão para expandir seu reino, independentemente da partilha ser aprovada ou não. Como todos naquela época, o rei Abdula reconhecia que os árabes na Síria, na Jordânia e nas terras de Israel eram todos o mesmo povo e, portanto, poderiam viver sob a mesma bandeira (a dele, é claro). Essa estratégia de Abdula, de estabelecer a ‘grande síria’, foi rejeitada pelo Egito, pela Arábia Saudita, por Síria e Líbano, que formavam um bloco com a intenção de invadir a ‘palestina’ primeiro e colocá-la sob o regime de ‘protetorado’. De fato, Abdula invadiu parte das terras do Mandato Britânico, anexando-as mais tarde (terras conhecidas como Cisjordânia e que Israel conquistou em 1967, durante a Guerra dos Seis Dias, e que os árabes que vivem em Israel reivindicam como sua).

Os árabes que vivem em Israel não são diferentes dos árabes jordanianos. Ao contrário, quando o sr. Churchill, então secretário colonial, em 1922, assinou o documento ‘White Paper’, concedendo 76% do território do Mandato Britânico ao emir Abdula, Transjordânia, o fez com o intuito de que os árabes do Mandato Britânico na ‘palestina’ vivessem ali – o que é hoje Jordânia!!!

Inclusive, o parlamentar do Knesset, Aryeh Eldad, chamou o rei Abdula a uma discussão sobre o tema ‘Jordânia é Palestina’, pois é, de longa data, proponente e defensor do estabelecimento de um estado árabe na Jordânia (originalmente, foi essa a proposta de Churchill). Ele tem pressionado o governo a declinar dos acordos de Oslo e assumir uma nova direção de negociações com a Jordânia. Certamente, essa proposta foi rejeitada pelo rei jordaniano, que declarou que ‘o chamado ‘lar nacional substituto’ só existe nas mentes dos fracos’… e que ‘a Jordânia como opção é uma ilusão’.

Todo o território do Mandato Britânico, no entanto, segundo a ‘Declaração de Balfour’ de 1917, ratificada pelas Nações Unidas em 1920, durante a Conferência de San Remo, Itália e, mais tarde, pelo Tratado de Sêvres (após IGM), havia sido destinado para o estabelecimento de um lar nacional para JUDEUS (e não para árabes e/ou muçulmanos) – essas resoluções não foram revogadas em nenhum momento da história. Então, por direito declarado pelas nações e, superior a isso, por direito determinado pelo Dono daquele pedaço, YHVH, Israel ainda tem muito território a reconquistar, em vez de fazer concessões e mais concessões.

Para os árabes, durante o 94º aniversário da Declaração de Balfour (02.11.1917) nada mais é do que uma ‘promessa maldita, feita por aqueles que não possuíam (Grã-Bretanha) àqueles que não tinham direito (judeus), para garantir-lhes um lar nacional para esse povo especial’. Ao utilizarem esse termo, estão desprezando, zombando, rejeitando, desconsiderando as centenas de vezes em que YAH promete dar essa mesma porção territorial aos judeus, por HERANÇA PERPÉTUA, NUMA ALIANÇA IRREVOGÁVEL.

Amados, não nos esqueçamos de que o islamismo é uma praga mortal, que está levando multidões ao inferno.

No Salmo 2 – “Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da Terra. Servi ao SENHOR com temor, e alegrai-vos com tremor. Beijai o Filho, para que Se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a Sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nELE confiam” (vv.10-12) – clamemos pelas nações árabes islâmicas, pelo derramar do Espírito Santo, para que sejam convencidas do pecado, da justiça e do juízo e venham ao pleno conhecimento da Verdade (JESUS é a Verdade). Que beijem o Filho (convertam-se a ELE e O sirvam, sejam zelosos pelos assuntos aos quais ELE zela), para que ELE não venha com ira, destruindo-os e fazendo-os perecer no inferno. Clamemos pelo arrependimento genuíno dos povos islâmicos, para que glorifiquem o Nome de YHVH e vivam! Porque ‘pelo sopro de Sua boca, o mar engoliu Seus inimigos e pelo estender de Sua mão para socorrer Seu povo Israel, a terra tragou Seus inimigos’.

Que todas aquelas nações que, há 64 anos deram seu apoio a Israel (disseram SIM a YHVH) e que hoje a ameaçam (porque não têm sido constantes em suas posturas de fé), tenham consciência de que ela é a ‘menina do olho de YHVH’ e que ELE fará o que Lhe aprouver para defendê-la e livrá-la das garras de s(S)eus inimigos. Que as nações beijem o Filho, em arrependimento genuíno, antes que ELE venha com Sua ira!

E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e dificultosamente os governavam. Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o SENHOR por eles peleja contra os egípcios” (Êxodo 14.25)

O Líbano controlado por hisb’allah atacou o norte de Israel com quatro mísseis katyusha na noite de segunda-feira. Louvado seja o SENHOR que ninguém foi ferido fisicamente (os traumas emocionais seguem), senão danos materiais. Esse ataque pode ter sido encomendado pelo chefe Irã, para desestabilizar Israel, tirar o foco da atenção de sobre o Irã e, ao mesmo tempo, apoiar o quase em queda regime sírio.

Louvado e engrandecido seja o SENHOR, porque tem guardado Seu povo. Ao mesmo tempo, louvamos ao SENHOR, porque têm sido inúmeros os episódios de explosões nos locais de armazenamento de armas no sul do Líbano, de acordo com a ONU.

Que as nações que se levantam contra Israel, que amam a guerra, fujam de diante de Israel e declarem, ‘porque YHVH peleja por eles contra os: iranianos, egípcios, sírios, libaneses, árabes, muçulmanos. Que o SENHOR levante Sua mão para defender Seu povo, em Nome de YEHOSHUA HaMASHIACH, o Comandante em Chefe dos Exércitos de YHVH.

Que o SENHOR dissipe os povos que desejam a guerra’ (Salmo 68.30c).

Porque faz que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos

(Mateus 5.45)

Israel tem vivido período de seca, nos últimos sete anos, intenso. A necessidade de chuvas no território todo de Israel e de neve sobre o Hermon é tremenda. O nível do Qineret (o maior reservatório de água potável de Israel) abaixou um metro e meio nos últimos anos e, com as chuvas recentes subiu um centímetro.

Louvamos ao SENHOR pelas chuvas que tem enviado a Israel – pelo período de uma semana, choveu ininterruptamente, o que já é um milagre em Israel – os campos têm sido renovados, a sequidão se esvai. Que isso seja um sinal profético para o profuso derramar do Espírito Santo prometido para toda a casa de Israel.

A seca prolongada, apesar das chuvas recentes, ainda ameaça os recursos hídricos potáveis de Israel. Sigamos clamando:

- que o SENHOR Se apiede de Seu povo, mudando sua sorte, enviando chuvas serôdias e temporãs a seu tempo, cobrindo a terra com a relva verde. Embora Israel nem sempre é fiel a YAH, seu DEUS, ELE é fiel e envia chuvas aos justos e injustos, porque Sua misericórdia se renova a cada manhã.

- “Os aflitos e necessitados buscam águas, e não há, e a sua língua se seca de sede; EU o SENHOR os ouvirei, EU, ELOHEI Israel não os desampararei. Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra seca em mananciais de água” (Isaías 41.171,8) – que o SENHOR ouça o clamor dos que por ELE esperam e nELE confiam para suprir cada uma de suas necessidades. O SENHOR os está congregando em Israel não para sua ruína, mas para sua vitória nELE!

- que venham as chuvas serôdias de avivamento sobre Israel e sobre as nações da Terra (Joel 2.28-32).

- “Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a Minha Palavra, que sair da Minha boca; ela não voltará para Mim vazia, antes fará o que Me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas” (Isaías 55.10-12) – que todas as Palavras que temos declarado e profetizado caiam como abundantes chuvas sobre Israel e seu povo, trazendo salvação, vitória, adoração ao Verbo Vivo!

- que o cântico de Moshe seja entoado por toda a Casa de Israel – “Goteje a minha doutrina como a chuva, destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva. Porque proclamarei o Nome de YHVH; engrandecei a ELOHEINU. ELE é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os Seus caminhos justos são; DEUS é a Verdade, e não há nELE injustiça; Justo e Reto ELE é” (Deuteronômio 32.2-4)

Estendeste a Tua mão direita; a terra os tragou” (Êxodo 15.12)

Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis que EU quebrarei o arco de Elão, o principal do seu poder. E trarei sobre Elão os quatro ventos dos quatro cantos dos céus, e os espalharei na direção de todos estes ventos; e não haverá nação aonde não cheguem os fugitivos de Elão. E farei que Elão tema diante de seus inimigos e diante dos que procuram a sua morte; e farei vir sobre eles o mal, o furor da Minha ira, diz o SENHOR; e enviarei após eles a espada, até que venha a consumi-los. E porei o Meu trono em Elão; e destruirei dali o rei e os príncipes, diz o SENHOR

(Jeremias 49.35-38)

A ameaça Irã é bastante palpável. Ainda que algumas nações tenham aumentado o peso das sanções econômicas sobre o Irã, espera-se muito pouco dessa medida, no sentido de paralisar as atividades nucleares ‘uranianas’ (China e Rússia manterão seus negócios com aquele país). ahmadinejad e ali khamenei são homens de visão e de propósito – promover o caos mundial para facilitar a vinda do mahdi, o falso messias islâmico, passando pelo segundo holocausto

A história se repete: há quase 80 anos, um louco vociferou a destruição dos judeus e o mundo se calou, não quis ouvir, não quis ler e entender os sinais de um conflito mundial… Chamberlain chegou a negociar a ‘paz’ pela ‘venda da Tchecoslováquia’… Esses tratados de nada serviram, porque arrastaram a Europa e as nações a uma guerra que permitiria o derramamento de muito sangue. E parece que o mundo não aprende com seus erros, com suas derrotas (porque num conflito armado NÃO EXISTEM VENCEDORES – TODOS PERDEM, A RAÇA HUMANA PERDE).

Assim como hitler, que arquitetou um plano e passo a passo o executou à vista das omissas nações da Terra, o mesmo acontece com o ‘Urã’, que desde sua revolução islâmica, em 1979, vem perseguindo um objetivo. Um plano foi traçado e o principal alvo é a destruição dos judeus e cristãos (primeiramente os do sábado; depois, os do domingo), como parte da conquista do mundo para o islã. Na constituição ‘uraniana’, está determinado que ‘a guarda revolucionária e o exército iraniano são os responsáveis para cumprirem a missão ideológica da jihad no caminho de allah, ou seja, a extensão da soberania da sharia e do corão pelo mundo inteiro’. O enfeitiçamento das nações que as torna apáticas à ameaça nuclear que se avizinha, bem como a letargia no Corpo do MESSIAS em perceber tais ameaças, impede ações mais efetivas, quer no plano espiritual, quer no natural.

Portanto, que o SENHOR desperte-nos, Seu Corpo, para entender tempos e estações e saber como agir, a fim de produzir conscientização e transformação, de acordo com Seu Espírito (1 Crônicas 12.32). Sejamos destros e ágeis na Palavra, na vontade do SENHOR.

Parte das usinas nucleares ‘uranianas’ foram construídas a centenas de metros abaixo do nível do solo – decretemos o sepultamento de tais instalações nucleares, pois elas já estão sepultadas – que a terra as engula, como engoliu Abirão e Datã, e vejam os nossos olhos a grande obra que fez o SENHOR (Deuteronômio 11.6,7).

Na profecia de Jeremias 49, o SENHOR afirma que ELE mesmo quebrará o ‘arco’ do Elão, o ‘principal de seu poder’. Ao escrever sobre isso, tenho dito que esse poderia referir-se às armas nucleares. Entretanto, enquanto selecionava esse texto, o Espírito ministrou ao meu coração outra linha: o arco do Elão é o islamismo shiita, com seus aiatolá e mulahs, que deseja assumir o poder sobre o islamismo sunita preponderante do mundo árabe. Pérsia tenta resgatar o poder que possuía na época de Daniel… o mesmo Daniel a quem o anjo do SENHOR foi enviado para descortinar as revelações concernentes aos últimos dias, nos quais vivemos!

Embora notícias controversas, o jornal britânico The London Times confirmou que a explosão que teve lugar na tarde da última segunda-feira nas proximidades de Isfahan, próximo de Teerã, Irã, teria ocasionado danos significativos na usina nuclear daquela região, usina esta que, desde 2006, enriquece urânio para a usina de Natanz.

Clamemos:

- que o SENHOR quebre a principal força do elão, destituindo seus rei e príncipes, e assentando-Se no trono daquela nação, assentando-Se no coração de multidões de persas com rumo certo ao inferno. Venha o avivamento sobre Elão e o arco do poder do islamismo seja quebrado e milhões de vidas sejam libertas de odiosidade do islamismo, em Nome do SENHOR JESUS;

- que o islamismo seja desmascarado e vejam que allah é nada, senão satanás, aquela coisa que será levada ao inferno, ao mais profundo abismo e de quem se dirá: ‘é isto aquilo que fazia estremecer a Terra e tremer os reinos?’ (Isaías 14.15,16), em Nome do SENHOR JESUS;

- que venha um terremoto espiritual sobre o Irã, engolindo principados e potestades que aprisionam o povo, tendo seus olhos descortinados para ver a YEHOSHUA, o Mashiach de Israel e das nações da Terra;

- que o arco das armas nucleares seja destruído, em Nome do SENHOR JESUS, por tremores de terra, terremotos nas localidades que desenvolvem material nuclear, com a terra engolindo as mesmas, pois a mão do SENHOR foi estendida;

- mais e mais explosões aconteçam nas instalações nucleares e armamentistas do Elão. Fujam de tremor e temor, por verem como YHVH, ELOHEI Israel, guarda e preserva Seu povo Israel. Fujam do regime massacrante em que vivem e corram para o Autor e Consumador da fé e da vida;

- se aprouver ao SENHOR utilizar Israel para exaltar Seu Grande, Tremendo e Soberano Nome, dê inteligência, capacidade, discernimento e sabedoria para lidar com um Irã militarizado (com armas químicas, biológicas e nucleares, futuramente);

- que a confiança de Israel não esteja em seus carros e cavalos, mas nAQUELE que não dorme nem dormita, o Guarda de Israel (Salmo 121.4);

- que essa severa ameaça que paira sobre Israel desperte o coração do governo e de todo o povo para buscar ao SENHOR e se converter de seus maus caminhos, como fez Yehoshafat e o povo em seus dias (2 Crônicas 20). Sejam tempos de avivamento em Israel, como foram nos dias daquele rei. Peleje o SENHOR esta batalha;

- seja o SENHOR exaltado e engrandecido, soberanamente reconhecido como Aquele que cuida de Seu povo, também no referente ao Irã. Que o SENHOR levante Sua poderosa mão para lidar com essa ameaça tão premente sobre Seu povo Israel.

Então lhe disse: Se TU mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui. Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos Teus olhos, eu e o Teu povo? Acaso não é por andares TU conosco, de modo a sermos separados, eu e o Teu povo, de todos os povos que há sobre a face da Terra?

(Êxodo 33.15,16)

Porque do cume das penhas o vejo, e dos outeiros o contemplo; eis que este povo habitará só, e entre as nações não será contado

(Números 23.9)

Nesses dias de decisão, paira sobre os ombros de Netanyahu um grande peso de responsabilidade. Se atacar Israel, poderá desencadear uma 3ª guerra mundial. Se não atacar, ficará à mercê de um Irã militarmente mais potente e que não se pode deter em cumprir suas ameaças contra Israel.

Israel é o escudo da Europa e do ocidente (isso já foi declarado por várias figuras políticas) contra o avanço do islamismo. Mais ainda, Israel é o ‘primogênito das nações’ (Êxodo 4.22), a ‘cabeça ou chefe das nações’ (2 Samuel 22.44; Jeremias 31.7), posições ou incumbências que o próprio YHVH delegou a ela.

Israel é povo único, peculiar ao SENHOR, separado para cumprir Seus propósitos e santificar Seu Nome entre as nações da Terra.

Clamemos por Netanyahu, para que não se deixe influenciar por líderes de nações, mas pela boa, agradável e perfeita vontade de YAH. Que o escudo de proteção esteja sobre ele, seus conselheiros e familiares, guardando suas mentes e emoções, em Nome do SENHOR JESUS.

Sabedoria, discernimento, determinação, coragem, ousadia, unidade de pensamento, dependência do SENHOR recaiam sobre os líderes em Israel. Sejam eles ungidos e capacitados por YHVH Tsevaot.

Que o SENHOR levante Seus profetas que anunciem Sua Palavra, na autoridade do Seu Espírito, para despertar Israel e as nações que têm se oposto a ela, nações que querem vê-la dividida e que estão frontalmente contrários à Sua verdade (João 17.17). Que Israel pare com essa idéia maldita, gerada no inferno, de dividir a terra. Que o SENHOR leve Israel, como a levou no passado, a CONQUISTAR TERRITÓRIOS, para a glória do Seu Nome.

Que os líderes em Israel legislem com temor e tremor sobre o povo escolhido de YAH e não em causa própria. Restitua o SENHOR juízes e conselheiros sobre Israel, para que ela seja redimida em juízo e justiça àqueles que se voltam para ela (Isaías 1.26,27).

Que Israel não busque ser uma nação como as outras, mas que clame pelo favor do SENHOR para tornar-se aquilo que ELE projetou para ela. Que ela deseje ser reinada por ELE com mão forte, com braço estendido, com misericórdia, compaixão e graça, com Seus laços de amor atraindo-os a Si (Ezequiel 20.32,33; Jeremias 31.3).

Naquele tempo os egípcios serão como mulheres, e tremerão e temerão por causa do movimento da mão do SENHOR dos Exércitos, que há de levantar-Se contra eles. E a terra de Judá será um espanto para o Egito; todo aquele a quem isso se anunciar se assombrará, por causa do propósito do SENHOR dos Exércitos, que determinou contra eles

(Isaías 19.16,17)

Os eventos das últimas semanas no Egito mostram que a irmandade muçulmana está determinada a chegar ao poder e levar o país à lei sharia. Assim como está causando tumultos na Jordânia, apoiando o massacre na Síria e atiçando refugiados iraquianos e árabes que viviam em Israel contra o governo do rei jordaniano, também está investindo contra o governo militar provisório do Egito, levando o povo aos protestos nas ruas do Cairo, nos dias que antecederam a primeira das três etapas das eleições no Egito (que tiveram início em 28 de novembro). Um dos motos da turba era a proclamação de ‘morte aos judeus’.

Ao mesmo tempo, o Sinai tem sido palco de ataques ao gasoduto que abastece Israel e Jordânia, sistematicamente danificados. Pela nona vez, mais um ataque foi aplicado nesta segunda-feira. Sabemos que células terroristas do al-qaeda se instalaram ali há muito tempo e subsidiam contrabando de armas ao hamas, em Gaza e estão coligados à irmandade muçulmana.

Não podemos nos esquecer de que o Sinai foi parte do ‘pagamento’ dado ao Egito por Israel para a ‘aquisição da paz’ na década de 70. A ameaça constante dos egípcios de terminarem o acordo de paz com Israel (há muito tempo o povo tem esse desejo) redundaria em fortes ameaças a Israel, por causa da longa e desértica fronteira que os une (ou os separa).

O porta-voz do Knesset, Reuven Rivlin, disse que Israel fará o necessário para impedir os terroristas de utilizarem o Sinai como base de suas operações: ‘Israel não permitirá que a península do Sinai novamente se torne área de guerra e terror’, lembrando a morte de 260 israelenses, em 1955, pelos terroristas ‘fedayeen’ que atacavam do Sinai e de Gaza (naquela ocasião em mãos egípcias) e dos 250 soldados mortos durante a ‘Operação Kadesh’ de 1956.

Sabemos que as reais divisas de Israel incluem o Sinai – ‘desde o grande rio (Eufrates, no Iraque) ao rio do Egito’, diz a Palavra de YAH. Por esta causa, clamemos para que sejam esses os dias em que o Sinai retornará às mãos de seu legítimo dono, Israel (Gênesis 15.18-21), em Nome do SENHOR JESUS. Que nossos olhos vejam as maravilhas que YAH está fazendo por Seu povo Israel, que sejamos testemunhas, não só espirituais (à medida que intercedemos por isso), mas físicas (nossos olhos físicos contemplem tal tarefa), para a glória do Seu Nome.

Que os espias de Israel estejam alertas e sejam alertados pelo Espírito de YAH para quaisquer riscos de seqüestro, atentados e ataques contra Israel. Sejam as repostas militares à altura, para evitar progressão e investida do inimigo.

Que a postura de Israel cause temor e tremor aos egípcios, um espanto para eles, por causa da mão do SENHOR em defender Seu povo.

Que toda a arrogância daqueles que destilam ameaças a Israel seja reduzida a nada e humilhados sejam todos aqueles que se levantam contra os escolhidos de YAH.

O governo de Israel está construindo um muro com a fronteira no Egito, com a promessa de estar pronta em um ano – que venham recursos para agilizar as obras e possam proteger a população de Israel de invasores e terroristas, em Nome do SENHOR JESUS.

Clamemos pelo Corpo do MESSIAS no Egito que tem sido perseguido e morto (muitos estão fugindo de lá) – que os anjos do SENHOR guardem e protejam o povo do MESSIAS de Israel naquela nação. Que os membros da Igreja Cóptica tenham um encontro real com CRISTO e saiam do tradicionalismo para se converterem genuinamente do DEUS Vivo. Sejam os dias do cumprimento de Isaías 19.19,20 – “Naquele tempo o SENHOR terá um altar no meio da terra do Egito, e uma coluna se erigirá ao SENHOR, junto da sua fronteira. E servirá de sinal e de testemunho ao SENHOR dos Exércitos na terra do Egito, porque ao SENHOR clamarão por causa dos opressores, e ELE lhes enviará um salvador e um protetor, que os livrará”- que o Corpo do MESSIAS no Egito levante esse altar a YHVH, o DEUS Único e Verdadeiro, sinal ao SENHOR de que ELE tem um povo que clame pelo Seu Nome e Sua libertação no meio do Egito.

Levanta em redor os teus olhos, e vê; todos estes já se ajuntaram, e vêm a ti; teus filhos virão de longe, e tuas filhas serão criadas ao teu lado. Então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alargará; porque a abundância do mar se tornará a ti, e as riquezas dos gentios virão a ti. A multidão de camelos te cobrirá, os dromedários de Midiã e Efá; todos virão de Sabá; ouro e incenso trarão, e publicarão os louvores do SENHOR. Todas as ovelhas de Quedar se congregarão a ti; os carneiros de Nebaiote te servirão; com agrado subirão ao Meu altar, e EU glorificarei a casa da Minha glória. Quem são estes que vêm voando como nuvens, e como pombas às suas janelas? Certamente as ilhas Me aguardarão, e primeiro os navios de Társis, para trazer teus filhos de longe, e com eles a sua prata e o seu ouro, para o Nome do SENHOR ELOHEICHA, e para o Santo de Israel, porquanto ELE te glorificou. E os filhos dos estrangeiros edificarão os teus muros, e os seus reis te servirão; porque no Meu furor te feri, mas na Minha benignidade tive misericórdia de ti

(Isaías 60. 4-10)

Como em outras partes do mundo, Israel também enfrenta desafios econômicos. A receita de Israel não é fácil, uma vez que deve despender tanto em proteção (pelas ameaças de perto e de longe dos seus inimigos), seja por melhorias nas FDI, os muros de proteção, desenvolvimento tecnológico na estratégia de guerra e, certamente, o desenvolvimento da nação (que não tem parado de crescer, louvado seja YAH por isso!).

De acordo com o antigo presidente do banco central de Israel, Stanley Fischer, embora o crescimento esteja menor do que em anos anteriores (4 a 5%), Israel continua a crescer (3,2% a 4,7%). O custo das moradias está diminuindo (por medidas que foram tomadas pelo governo para garantir sua redução, lembrando que a greve em Israel foi ocasionada também por esse fator). O desemprego continua baixo. O país mantém bastantes reservas internacionais, e há um orçamento responsável, o que revela uma economia em boas condições.

Entretanto, não nos guiamos por vistas, mas pela Palavra de DEUS, e ela diz que a riqueza das nações virá a Israel, para louvor do Seu Nome. De acordo com essa mesma promessa, a aliyah está intrinsecamente ligada à entrada de divisas para Israel. Portanto, clamemos pela aliyah, pelo regresso dos judeus no cativeiro das nações a Israel, trazendo suas riquezas e atuando no crescimento do país.

Que o SENHOR capacite os dirigentes financeiros para equilibrar as contas públicas e dirigir o desenvolvimento financeiro para ampliar a economia em Israel.

Sabemos que são necessárias frentes de trabalho para absorver a mão de obra daqueles que estão fazendo a aliyah e dos que farão a aliyah. Por isso, clamemos pelo crescimento ‘inexplicável’, miraculoso da economia de Israel, para ampliar as frentes de trabalho e a necessidade de mão de obra, tornando a aliyah atrativo para jovens e homens e mulheres de meia idade.

Que o SENHOR exponha a corrupção em todas as suas formas e nas várias instâncias governamentais, civis, religiosas – que o SENHOR cure Sua terra, Seu povo de toda forma de corrupção e que haja peso justo, balança justa, medida justa para toda a sociedade, em Nome do SENHOR JESUS. Seja Sião levantada em juízo, por causa da presença de juízes justos.

Que a própria população, ao se deparar com os grandes desafios e ameaças que estão vivendo, assuma mais as responsabilidades do que lute por seus direitos. Seja um tempo de PONDERAÇÃO para população e governo de Israel, em Nome do SENHOR JESUS. Que haja equilíbrio de ambas as partes. Que o governo verdadeiramente legisle, com temor e tremor, pela causa do povo escolhido de YHVH de Israel e que o povo não veja seu governo como inimigo, mas um seu aliado.

Que o SENHOR dê estratégias e inteligências de guerra e defesa à liderança e aos soldados das FDI que sejam ‘baratas’, viáveis, para que seu orçamento não coloque em risco a segurança da nação. Para tal, clamamos ao SENHOR para que envie Seus anjos guerreiros a guardar todas as fronteiras de Israel, defendê-las e ao povo, em Nome do SENHOR JESUS.

Que o povo de Israel ajude a seus sobreviventes do holocausto, muitos deles vivendo em condição de pobreza. Clamemos ao SENHOR para que levante Sua noiva nas nações da Terra que sirvam de refrigério àqueles que sofreram nas mãos dos inimigos de DEUS.

O SENHOR abençoe e levante recursos para aqueles que apóiam e têm investido sua vida em levar judeus de volta a Israel, como um chamado que o SENHOR tem compartilhado em seus corações. Clamemos por esses grupos, por finanças, por voluntários, por todas as necessidades sendo cabalmente supridas pelo Dono do ouro e da prata e das vidas a quem convence a se engajar nesse projeto que veio do Seu coração. Aqui, aponto especificamente a ‘Operação Êxodo Ebenezer’, como um organismo que tem levado de volta a Eretz Israel milhares de judeus ao longo desses 20 anos de atividade. Acesse ao site para conhecer as necessidades e se engajar nesse trabalho tão nobre (www.operacao-exodo.org). Não percamos a oportunidade de contribuir para a realização dos sonhos do PAI!!!

Então disse: Eis que EU faço uma aliança; farei diante de todo o teu povo maravilhas que nunca foram feitas em toda a Terra, nem em nação alguma; de maneira que todo este povo, em cujo meio tu estás, veja a obra do SENHOR; porque coisa terrível é o que faço contigo. Guarda o que EU te ordeno hoje; eis que EU lançarei fora diante de ti os amorreus, e os cananeus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus e os jebuseus. Guarda-te de fazeres aliança com os moradores da terra aonde hás de entrar; para que não seja por laço no meio de ti. Mas os seus altares derrubareis, e as suas estátuas quebrareis, e os seus bosques cortareis. Porque não te inclinarás diante de outro deus; pois o Nome do SENHOR é Zeloso; é um DEUS zeloso… Três vezes ao ano todos os homens aparecerão perante YHVH ELOHIM, ELOHEI Israel; porque EU lançarei fora as nações de diante de ti, e alargarei o teu território; ninguém cobiçará a tua terra, quando subires para aparecer três vezes no ano diante do SENHOR ELOHEICHA

(Êxodo 34.10-14,23-24)

A reunião entre abbas, líder do fatah, e o chefe do hamas (cujo significado é violência e falso testemunho), associado às declarações de abbas de que ‘não há mais diferenças entre os dois movimentos’ [o que significa que ele aceita a agressão e táticas de terrorismo do hamas contra Israel e que apóia a morte de civis inocentes, além de concordar com a política de ‘não reconhecimento de Israel como lar nacional para os judeus’ e de nunca estabelecer acordos de paz], torna temeroso o reconhecimento desse líder como um parceiro de negociações de paz. Essa aliança com um inimigo declarado de Israel, o desabona e o descarta como um negociador idôneo. Que as nações vejam isso, quando exigirem que Israel retorne à mesa de negociações com esse camarada enviado do inferno.

Na semana passada, o próprio rei Abdula II reconheceu que a plataforma de ação da coligação fatah-hamas põe fim à esperança de negociações entre Israel e os árabes que querem constituir um estado independente em território que pertence a YAHVEH (o que trouxe preocupação ao rei e ao seu reino).

Não obstante, o Knesset, infelizmente, aprovou a liberação da transferência de impostos à autoridade dos árabes que vivem em Israel, congelada desde que a Unesco aprovou o ingresso dos árabes que vivem em Israel como membro pleno, como poder de voto e autoridade para lançar projetos que deslegitimam, cultural e cientificamente a conexão dos judeus a Jerusalém, a Chevron, a Judéia e a Samaria.

Clamemos para que essa aliança leve ao término dos escusos acordos de Oslo, Camp David e outras alianças que Israel tem feito com seus inimigos e sujeito, portanto, a declinar a seus deuses e à vontade de seus inimigos. Que Israel seja independente dos homens para depender de YHVH e de Suas promessas.

Que o SENHOR levante líderes que, como Moshe, decidam obedecer aos comandos de YAH para testemunhar os milagres que ELE fará, o mover de Sua mão para a libertação de Seu povo.

O SENHOR é DEUS Zeloso, ciumento de Seu povo – “Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Zelei (tive ciúme, desejos ardentes, avidez) por Sião com grande zelo (ciúme, desejos ardentes, avidez), e com grande indignação zelei por ela. Assim diz o SENHOR: Voltarei para Sião, e habitarei no meio de Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade da verdade, e o monte do SENHOR dos Exércitos, o monte santo” (Zacarias 8.2,3):

- clamemos que o SENHOR, assim como foi tentado com ciúme pela apostasia de Seu povo, levante Seu Corpo para causar ciúmes a Israel e atraí-la a ELE novamente (Romanos 11.11; Deuteronômio 32.21);

- clamemos para que o SENHOR, DEUS Zeloso, ciumento e ávido pela comunhão com Seu povo escolhido, atraia-os a Si mesmo, por Seu amor, Sua misericórdia, por Quem ELE é;

- clamemos que ELE Se revele a Seu povo Israel, para a glória do Seu Nome, para que ELE e somente ELE seja adorado, exaltado, engrandecido, requisitado no meio de Israel e ela se levante como testemunho vivo e santo de Seu Nome glorioso!

Porque eu mesmo poderia desejar ser anátema de CRISTO, por amor de meus irmãos, que são meus parentes segundo a carne; que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto, e as promessas; dos quais são os pais, e dos quais é CRISTO segundo a carne, O Qual é sobre todos, DEUS bendito eternamente. Amém

(Romanos 9.3-5)

E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”

(Romanos 8.23)

E nos predestinou para filhos de adoção por JESUS CRISTO, para Si mesmo, segundo o beneplácito de Sua vontade, para louvor e glória da Sua graça, pela qual nos fez agradáveis a Si no Amado

(Efésios 1.5,6)

Que o SENHOR nos leve, a nós, Seus filhos, e a Israel, Seu povo, dia a dia, ao caminho da adoção de filhos, a redenção de nossos corpos, ‘que é CRISTO em nós, a esperança da glória’. Leve-nos ELE, por meio de Seu Espírito, a nos preparar para Sua vinda, para a glória e a honra dELE mesmo!

No amor do MASHIACH de Israel, SENHOR e REI de toda a Terra,

Marciah Malkah

Pr. Inerves (134 Posts)

Sou pastor na Igreja Batista Jesus é a Vida em Ceilândia/Distrito Federal. Tenho 2 filhos e uma linda esposa que amo muitíssimo. Gosto de pessoas, gosto de viver a vida que Deus me deu, e vivê-la abundantemente, aproveitando as oportunidades que Deus dá para fazer coisas boas. Tenho também meu pai, meu irmão, minhas irmãs, sobrinhos e muitos amigos e irmãos em Cristo que trazem muito sentido à minha permanência na terra. Ao Senhor Jesus toda Honra, Glória e Louvor.


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio