Ore pela Paz de Jerusalém – 01 a 15 de Outubro/2011

… Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário (azazel ou demônio do deserto). Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado. Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o SENHOR, para fazer expiação com ele, a fim de enviá-lo ao deserto como bode emissário. E Arão fará chegar o novilho da expiação, que será por ele, e fará expiação por si e pela sua casa; e degolará o novilho da sua expiação. Tomará também oincensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu. E porá o incenso sobre o fogo perante o SENHOR, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra. E tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo espargirá sobre a face do propiciatório, para o lado oriental; e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo. Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório… Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, e pela tenda da congregação, e pelo altar, então fará chegar o bode vivo. EArão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto… o novilho da expiação, e o bode da expiação do pecado, cujo sangue foi trazido para fazer expiação no santuário, serão levados fora do arraial; porém as suas peles, a sua carne, e o seu esterco queimarão com fogo… E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis (anahas vossas almas, e nenhum trabalho fareis nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o SENHOR. É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; isto é estatuto perpétuo. E o sacerdote, que for ungido, e que for sagrado, para administrar o sacerdócio, no lugar de seu pai, fará a expiação, havendo vestido as vestes de linho, as vestes santas; assim fará expiação pelo santo santuário; também fará expiação pela tenda da congregação e pelo altar; semelhantemente fará expiação pelos sacerdotes e por todo o povo da congregação. E isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação pelos filhos de Israel de todos os seus pecados, uma vez no ano. E fez Arão como o SENHOR ordenara a Moisés” (Levítico 16)

E uma vez no ano Aharon fará expiação sobre as suas pontas com o sangue do sacrifício das expiações (kipurim); uma vez no ano fará expiação sobre ele pelas vossas gerações; santíssimo é ao SENHOR” (Êxodo 30.10)

Mas aos dez dias desse sétimo mês será o dia da expiação (Iom HaKipurim); tereis santa convocação, e afligireis (anah) as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao SENHOR. Shabat shabatonn (sábado de observância de descanso) vos será; entãoafligireis (anah) as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado” (Levítico 23.27,32)

Na viração do dia 07 para 08 de outubro (corretamente, seria do dia 08 para 09, por causa da aparição da lua nova que ocorreu na noite de 29.09 e não de 28.09), milhões de judeus pararam com suas atividades, humilhando-se em 25 horas de jejum absoluto (exceto as FDI, desde a Guerra de Iom Kipur, em 1973), por causa do dia mais solene e mais terrível para eles – Iom HaKipurim ou Dia da Expiação (reparação), confessando seus pecados e buscando perdão, para que seus nomes sejam escritos no Livro da Vida por mais um ano. Por tal severidade, muitos em Israel começaram a preparar-se (em confissão e busca de arrependimento) durante os 40 dias que o antecedem (desde o 1º dia de Elul, como escrevemos anteriormente).

Kipur vem do verbo ‘Kapar’ ou ‘cobrir’. Logo, kipur significa cobertura:

Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação (kapar) pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação (kapar) pela alma” (Levítico 17.11)

E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão” (Hebreus 9.22)

Kipur ou Kipurim também pode ser traduzido por ‘resgate por meio de um substituto’, inserido no conceito de ‘aquele que cobre’.

Nos tempos antigos, com o Tabernáculo de Moshe e, mais tarde, os 1º e 2º ‘Batei Miqdash’ (santuários), eram oferecidos um novilho (pelos pecados do Cohen Hagadol e sua casa) e um bode ‘para YHVH’ (pelos pecados de Israel). O sangue desses animais era derramado sobre o ‘assento de misericórdia’ (propiciatório), na entrada única anual do Cohen HaGadol ao Santo dos santos. O outro bode, sobre quem havia caído a sorte ‘para azazel’, ou bode expaitório (emissário), era marcado pelo sumo sacerdote com uma cinta carmesim amarrada à volta de seus chifres. O sumo sacerdote colocava as mãos sobre o animal, confessando e ‘transferindo’ todos os pecados da nação para ele. Então, era enviado ao deserto e solto, sendo considerado maldito, porque ‘carregava’ os pecados da nação. Antes de ser enviado, porém, um pedaço da cinta carmesim era removido para ser atado à porta do templo. De acordo com a tradição judaica (na Mishnah), quando o bode encontrasse seu fim, a fita deveria ficar branca, como sinal da aceitação do sacrifício pelo SENHOR e da liberação de Seu perdão, com base em Isaías 1.18: “Vinde então, e argüi-Me, diz YHVH: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã”. 40 anos antes da destruição do 2º Beit Mikdash, a fita parou de ficar branca (também de acordo à Mishnah), por uma única razão: o perfeito e todo suficiente sacrifício já havia sido feito por YEHOSHUA, completamente aceito pelo PAI.

Esse foi um dia designado pelo próprio SENHOR:

- santa convocação – deveriam estar separados para o propósito exclusivo do SENHOR;

- santíssimo a ELE – nenhum trabalho seria permitido, sob pena de morte

- para que cada um ‘afligisse sua alma’ com o jejum, ao humilhar-se diante do SENHOR:

Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos (anah) as nossas almas, e tu não o sabes? Eis que no dia em que jejuais achais o vosso próprio contentamento, e requereis todo o vosso trabalho” (Isaías 58.3)

Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, as minhas vestes eram o saco; humilhava (anah – afligia) a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio” (Salmo 35.13)

- um dia de quebrantamento, dia de contrição, de busca pelo perdão dos pecados pessoais e da comunidade, dia de sacrifício e derramamento de sangue, dia da substituição (novilho expiatório, bode expiatório e bode emissário derramavam seu sangue por causa dos pecados de Israel), dia de expiação pelos pecados da nação;

- único dia em que YHVH permitia que o Cohen Gadol entrasse no Santo dos santos, diante da glória de YHVH para derramar o sangue expiatório sobre o kaporet ou ‘assento de misericórdia’ (propiciatório) e profetizar o único e perfeito sacrifício requerido para tirar o pecado do mundo, o sangue de Seu próprio Filho que, um dia, seria derramado no propiciatório celestial (Hebreus 9.11-15);

- único dia em que o sumo sacerdote poderia proclamar, por três vezes, o tetragrama do Nome de ADONAI – YHVH, em sua magnificência, temor e tremor, acompanhado da adoração da assembléia, de modo crescente. Essas declarações e a entrada (três vezes) do sumo sacerdote no Kódesh hakdoshim, geravam um senso da tremenda Presença do SENHOR fazendo a expiação pelo povo, limpando-o de seus pecados.

Esse dia de separação também era conhecido como ‘face a face’, pois ao entrar no Kódesh hakdoshim (Santo dos santos) o sumo sacerdote ficava ‘face a face’ com ELOHIM. Nesse momento, a nação inteira parava, apreensiva, pois seu destino estava sendo selado (se YAH aceitaria o sacrifício ou não) com o sumo sacerdote ‘face a face’ diante do ‘assento de misericórdia’ (kaporet, palavra hebraica que tem a mesma raiz da palavra kipur, ou kapar – expiar, cobrir) de YHVH. Deste lugar, falou o SENHOR face a face com Moshe (Êxodo 33.11).

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido” (1 Coríntios 13.12).

Durante o ano, três são as trombetas a soarem:1ª trombeta, em Shavuot; a última trombeta, em Iom Teruah; Grande trombeta ou Shofar HaGadol, ao fim de Iom Kipur, como referida em Isaías 27.13 – “E será naquele dia que se tocará uma grande trombeta, e os que andavam perdidos pela terra da Assíria, e os que foram desterrados para a terra do Egito, tornarão a vir, e adorarão ao SENHOR no Monte Santo em Jerusalém”.

Enquanto os shofarim de Iom Teruah apontam para os sete shofarim (trombetas) do Apocalipse (referentes à declaração do reino de YEHOSHUA no período da tribulação, inclusive a 7ª e última de Apocalipse 11.15), Shofar HaGadol é, em realidade, a última trombeta a soar, com toque longo e ao fim de Iom HaKipurim, apontando para o momento da 2ª vinda do SENHOR YEHOSHUA (Apocalipse 19.111 Coríntios 15.521 Tessalonicenses 4.16Mateus 24.31).

Após o serviço da tarde, de Iom Kipur, a porção da Haftarah (porção dos Profetas no Tanahch) lida é olivro de Yonah – pois o arrependimento e perdão são figuras proeminentes nessa narrativa. Sua história revela o amor e compaixão de YHVH por toda a humanidade e o papel de Israel em anunciar que YHVH é o Único e Verdadeiro DEUS e é misericordioso para perdoar.

O último serviço do dia é ‘neilah’. De acordo com a tradição judaica, durante os dez dias de arrependimento, os portões do céu se abrem para receber os clamores por perdão e se fecharão ao fim do serviço de ‘neilah’ ou ‘fechado’, com o toque do shofar.

Book of JONAH

The Prophet Jonah is traditionally read as a Haftarah of the afternoon service on the Day of Atonement. Perhaps one reason is that repentance and forgiveness figure so prominently in this short narrative. This book also reveals God’s love and compassion for humankind apart from Israel, in fact, His purpose that she be a light in bearing His message of love and redemption to the nations.

Todos os atos na cerimônia do templo em Iom Kipur foram cumpridas em YEHOSHUA:

- o incenso de ouro que Aharon carregava (Levítico 16.1,2,12-14), que representam as orações dos santos (Apocalipse 5.8; 8. 3,4), tipificava o ministério de Mediador (1 Timóteo 2.5; Hebreus 12.24) e de Intercessor permanente (Romanos 8.34; Hebreus 7.22-27) do SENHOR JESUS, nosso Cohen HaGadol (Hebreus 3.1);

- enquanto o sumo sacerdote da linhagem de Levi entrava no Santo dos santos (Kódesh hakdoshim) uma vez ao ano (Levítico 16.2), não sem antes sacrificar por si e por sua família e tribo (Hebreus 9.7), YEHOSHUA, Sacerdote da ordem de Malki Tsedeq, entrou de uma vez por todas, como O sacrifício perfeito e como O Sumo Sacerdote Perfeito, e o véu do santuário rasgou-se de alto abaixo (como na tradição judaica, quando pai perde o filho e rasga suas vestes pela profunda dor e desolação) (Mateus 27. 50,51), ou seja, Sua carne, abrindo o acesso ao Santo que está no Lugar Santíssimo (Hebreus 10.19-22);

- o sumo sacerdote tinha que lavar-se totalmente (não só pés e mãos – Levítico 16.4,24) para fazer expiação por si e pelo povo. O SENHOR disse a Pedro que só bastavam os pés, porque ele já estava limpo pela Palavra de YHVH (João 13.10. Confirmar em Efésios 5.26). ELE é o Verbo, a Palavra (João 1.1,14). Logo, ELE não precisou banhar-Se, pois estava totalmente limpo, sem pecado algum (Hebreus 4.15João 14.30). E, por esta razão, pôde não só realizar a expiação como ser o próprio sacrifício todo suficiente, sem medo, porque a Sua alma não veria a corrupção (ELE não poderia ser aprisionado no hades, porque não havia pecado nELE – Salmo 16.10);

- as vestes sacerdotais eram de linho branco (Levítico 16.4,23), apontando para a justiça de YEHOSHUA e Sua humanidade sem pecados. Ao oferecer-Se como Cordeiro, ELE nos deu Suas vestes de justiça (Salmo 132.9) e tomou nossas rotas vestes do pecado e da iniqüidade. As oferece àqueles que nELE perseveram: “O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de Meu PAI e diante dos Seus anjos” (Apocalipse 3.5);

- os animais sacrificados eram levados para fora do arraial (Levítico 16.22,27). YEHOSHUA foi crucificado fora dos portões de Jerusalém (João 19.17-20Hebreus 13.10-13);

- o sangue dos animais sacrificados era aspergido no kaporet ou assento de misericórdia ou propiciatório pelo sumo sacerdote, em nome de todo Israel. YEHOSHUA aspergiu Seu sangue sobre o propiciatório celestial para toda a humanidade (“Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dELE; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão” (Isaías 52.15);

In Isaiah 52:15, when it says that Yeshua would sprinkle the nations, it refers to what the high priest did on Yom Kippur on the mercy seat of G-d so G-d would forgive the sins of the people. Yeshua came as a prophet in His first coming; now He is the High Priest and is coming back as a King.

- no momento do sacrifício de expiação, o povo era apresentado diante de DEUS sem pecado e sem mácula. “Cristo amou a igreja, e a Si mesmo Se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra, para a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Efésios 5.25-27);

- muitos animais eram sacrificados durante aquele dia: que muitos homens, mulheres e crianças de Israel e das nações da Terra sejamos tomados como sacrifício vivo, santo a agradável ao SENHOR, como oferta de gratidão a ELE (Romanos 12.1Hebreus 13.15,16);

Iom Kipur aponta para o yovel (jubileu) – “Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos. Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra, e santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu (yovel) vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família. O ano qüinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das separações, porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis. Neste ano do jubileu tornareis cada um à sua possessão” (Levítico 25.8-13). Yovel começa em Iom Kipur, no dia da liberdade no SENHOR, por causa dELE (Isaías 61.1-3Lucas 4.17-21), para a restauração de todas as coisas. O desfecho de tudo isso será com o regresso do SENHOR JESUS e o cumprimento cabal do plano redentivo de YHVH iniciado no Éden.

Tudo pelo sangue! Certamente, esse aponta para aquele dia em que YEHOSHUA HaMASHIACH ofereceu Seu sangue para expiação do pecado de toda humanidade, quer para judeus e gentios, durante Pêssach. ELE também foi levado para fora do arraial, carregando o pecado de toda humanidade, no deserto do abandono e rejeição celestial pelo ‘homem todo pecado’ que assumira, cravado, solitário, naquela cruz de maldição, porque ‘maldito todo aquele que for pendurado no madeiro’ (Gálatas 3.13).

Mas, uma pergunta ecoa no coração de muitos judeus, agora por gerações, desde a destruição do templo (40 anos depois da morte e ressurreição de nosso SENHOR JESUS), há mais de 1940 anos:

Onde está o sangue para a expiação?

Se ‘sem derramamento de sangue não há remissão’ (perdão), então, como ter a garantia de que seu nome estará escrito no Livro da Vida por mais um ano? Como ter a certeza, diante do descumprimento da ordenança de YHVH?

Era necessário que houvesse um bode para a ‘expiação’ (derramar o sangue) e o outro para ‘carregar o pecado’ e levá-lo embora. Não bastava o perdão. Era preciso lidar com a motivação para o pecado, como David percebeu:

Por amor do Teu Nome, SENHOR, perdoa (salach – perdoar) a minha iniqüidade, pois é grande. Olha para a minha aflição e para a minha dor, e perdoa (nassa – carregar, levar, tirar) todos os meus pecados. Redime (resgata), ó ELOHIM, a Israel de todas as suas angústias (tzarah – Jeremias 30.7Daniel 12.1)” (Salmo 25.11,18,22).

Embora a tradução use a mesma palavra ‘perdoa’, no hebraico, os verbos são distintos. O verbo usado no versículo 18 é o mesmo que João Batista utilizou ao ver YEHOSHUA: ‘Hineh! SEH HaELOHIM, hanossê (nassa)et-chatat haOlam’ (‘Eis o Cordeiro de DEUS que tira o pecado do mundo’ – João 1.29) – ‘Aquele que expia o pecado’ e ‘Aquele que carrega o pecado’.

Clamemos para que durante o tempo do ‘perscrutar a alma’, o doce Espírito Santo:

- relembre-os de que a fita carmesim não mais ficou branca. Que sejam incomodados por esse questionamento e sejam conduzidos, pelo Espírito, na Palavra, para revelar a razão única para esse fato.

- mova-se nos corações dos judeus, convencendo-os da realidade do pecado e da realidade do seu salário (separação eterna de DEUS), fazendo-os perceber e entender que no MASHIACH YEHOSHUA, o Perfeito Cordeiro Pascal, ‘bode expiatório’ e ‘emissário’, há o resgate pleno.

- conduza-os ao genuíno arrependimento, pelo convencimento do pecado, da justiça e do juízo, que leva à vida e à verdadeira liberdade. Que nesses dias, multidões possam experimentar o novo nascimento em CRISTO JESUS. “E todos os reis se prostrarão perante ELE; todas as nações O servirão. Porque ELE livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. Compadecer-Se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados. Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o Seu sangue aos olhos dELE”(Salmo 72.11-14).

Alguns têm praticado o sacrifício de uma galinha (pura feitiçaria… porque, nem de longe se aproxima das ordenanças de YHVH), como substituta. Que o SENHOR, o Espírito, convença-os de que é impossível, por sangue de galinhas ou por esforços próprios a justificação pessoal – “Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de DEUS, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de DEUS” (Romanos 10.2,3).

Clamemos para que o Espírito de revelação seja derramado nesses dias de humilhação e contrição, removendo o véu da religiosidade para entenderem que os sacrifícios do passado eram somente tipologia, sombra do que haveria de ser realizado através do Unigênito de DEUS PAI. Que sejam confrontados em seus pecados e deparem-se com o desespero da falta de solução própria ou por qualquer outra ‘fórmula mágica’, que não a do próprio SENHOR. Então, que recebam a provisão toda suficiente, estabelecida de uma vez por todas, na provisão toda perfeita de YHVH através de Seu Filho, hoje, Primogênito de uma nova raça, o Novo Homem, o Único que lhes pode salvar – HaMÉLECH haYehudim – O REI dos judeus, YEHOSHUA!

Os nascidos de novo no Mashiach YEHOSHUA conhecem a resposta – o sacrifício todo suficiente já foi realizado. Agora, aquele sangue fala diante do tabernáculo celestial e é ele que nos garante acesso ao PAI (Efésios 2. 16,18;Hebreus 9). Que seu testemunho seja no poder do Espírito Santo, com ousadia, intrepidez, como o testemunho dos discípulos logo após Shavuot.

Que se arrependam como os de Nínive, após a pregação convincente (pelo Espírito) de Yonah, convertendo-se de seus maus caminhos e da violência de seus corações, rendendo-se ao SENHOR de toda a Terra, Criador dos céus e da Terra– “E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. E os homens de Nínive creram em DEUS; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior até o menor. Esta palavra chegou também ao rei de Nínive; e ele levantou-se do seu trono, e tirou de si as suas vestes, e cobriu-se de saco, e sentou-se sobre a cinza. E fez uma proclamação que se divulgou em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes dê alimentos, nem bebam água; mas os homens e os animais sejam cobertos de sacos, e clamem fortemente a DEUS, e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se Se voltará DEUS, e Se arrependerá, e Se apartará do furor da Sua ira, de sorte que não pereçamos? E DEUS viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e DEUS Se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez” (Jonas3.4-10).

Que o véu da cegueira espiritual seja removido de seus olhos, para que vejam as realidades espirituais por trás de cada ato do Cohen Hagadol praticados em Iom HaKipurim.

De acordo com a Haftarah do próximo shabat, que o SENHOR troque os corações endurecidos em Israel, dos que desejam praticar um jejum e quebrantamento como o descrito em Isaías 58.1-5: “Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao Meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados. Todavia Me procuram cada dia, tomam prazer em saber os Meus caminhos, como um povo que pratica justiça, e não deixa o direito do seu DEUS; perguntam-Me pelos direitos da justiça, e têm prazer em se chegarem a DEUS, dizendo: Por que jejuamos nós, e TU não atentas para isso? Por que afligimos as nossas almas, e TU não o sabes? Eis que no dia em que jejuais achais o vosso próprio contentamento, e requereis todo o vosso trabalho. Eis que para contendas e debates jejuais, e para ferirdes com punho iníquo; não jejueis como hoje, para fazer ouvir a vossa voz no alto. Seria este o jejum que EU escolheria, que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a sua cabeça como o junco, e estenda debaixo de si saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aprazível ao SENHOR?

Que em Israel pratiquem o verdadeiro jejum que agrada a YHVH, por causa de um verdadeiro quebrantamento e arrependimento: “Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda. Então clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás, e ELE dirá: Eis-Me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente; e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. E o SENHOR te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam. E os que de ti procederem edificarão as antigas ruínas; e levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ãoreparador das roturas, e restaurador de veredas para morar. Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no Meu Santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o Santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras, então te deleitarás no SENHOR, e te farei cavalgar sobre as alturas da Terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Yaacov; porque a boca do SENHOR o disse” (Isaías 58.6-14).

Que o SENHOR abra os olhos de Seu povo para ver toda a simbologia de Iom Kipur cumprida em YEHOSHUA. Que abra os olhos de Sua noiva para preparar-se, ataviar-se para o seu Noivo que cedo vem. Que o SENHOR, que é DEUS compassivo e misericordioso, longânimo (tardio em irar-Se) e grande em benignidade, e que Se arrepende do mal, recorde-Se que eles, assim como os de Nínive, não conseguem discernir a mão direita da esquerda (Jonas 4. 2b,11b)

Que, ao soar do Shofar HaGadol em Tsion, o “SENHOR ordene acerca dos tristes de Tsion que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ELE seja glorificado” (Isaías 61.3).

Ao soar o Shofar HaGadol, ‘no lugar em que ouvirem a ‘voz do shofar’, naquele lugar se reúnam os filhos de Israel. Pois ali o SENHOR pelejará por Seu povo’ (Nechemyah 4.20).

Que durante a leitura do livro de Yonah, Israel entenda seu propósito redentivo para as nações da Terra e volte-se para ELOHEI Israel a fim de cumprir esse propósito.

Que muitos possam, ao fim destes dias, responder: ‘o sangue que me lavou de todos os meus pecados e me purifica, que me dá livre acesso ao Kódesh hakdoshim, que não me deixa mais alheio às promessas de YHVH, ainda que yehudi, que me reconciliou com DEUS, ao ponto de poder chamá-lO ABA, que me faz vencer o inimigo de minha alma e não amar a vida até a morte (Apocalipse 1.51 João 1.7Hebreus 10.19Efésios 2.132 Coríntios 5.18;Romanos 8.15Apocalipse 12.11), pertence a YEHOSHUA, Seh HaELOHIM, ADONI, MOSHIIY, GOELI, M’FALTIY, MÉLECH haYehudi v’MALKI (Cordeiro de DEUS, meu SENHOR, meu Salvador, meu Redentor, meu Libertador, o REI dos judeus e meu REI’.

E todos os homens de Israel se congregaram ao rei Salomão, na ocasião da festa, no mês de Etanim, que é o sétimo mês” (1Reis 8.2)

O 7º mês também é chamado Etanim, que significa fluente, pleno, repleto, transbordante (e nos meses onde as correntes d’água fluem constantemente). Também significa duradouro, resistente, eterno; constante, permanente. Que o SENHOR abençoe esse mês com Sua constância, firmeza e segurança sobre toda a Casa de Israel. Levante o SENHOR atalaias para permanecerem firmes, constantes, inabaláveis em apoio a Israel, ‘até que saia a S(s)ua justiça como um resplendor, e a S(s)ua salvação como uma tocha acesa. E os goiym verão a Sua justiça, e todos os reis a Sua glória; e chamar-la-ão por um nome novo, que a boca do SENHOR designará. E Israel será uma coroa de glória na mão de YHVH, e um diadema real na mão do seu DEUS’ (Isaías 62.1-3,67) e que que Jerusalém seja estabelecida como objeto de louvor na Terra, para a glória do Seu Nome! (Isaías 62.7).

Aliyah

Grupos terroristas islâmicos estão ameaçando as companhias aéreas para impedir que judeus façam a aliyah (satanás sabe que esse é o método mais rápido e eficiente de promover o crescimento judaico em Israel. Também sabe da redenção que aguarda os filhos de Avraham, Itschaq e Yaacov, Israel, em Eretz Israel (Ezequiel 36) e quer sabotar, retardar, impedir os planos de YAH de se cumprirem… miserável e maldito cão… que arderá no fogo do inferno de eternidade em eternidade… é um derrotado completo!!! HalleluYAH por isso!!!).

Sabemos que através dos regimes ditadores na América Latina (Cuba e Venezuela), hisb’allah infiltrou-se na região, estabelecendo células terroristas organizando ataques às comunidades judaicas nas nações do Continente Americano (de Norte a Sul). Esses terroristas são subsidiados pelo Irã do louco ahmanidejad e ali khamenei.

Clamemos para que o SENHOR levante companhias aéreas comprometidas com ELE e não com o mundo e que levem Seus filhos em segurança, como o pastor conduz em segurança suas ovelhas ao aprisco.

Que essas células terroristas míngüem, falhem em tudo o que intentarem fazer, sejam minadas e explodam, desaparecendo sem qualquer dano das comunidades à volta, em Nome de JESUS. Que o mal seja extirpado de nossas terras, em Nome de JESUS. Cresça o Evangelho do Reino de DEUS e cessem as más notícias de satanás e sua companhia de pervertidos e miseráveis sem DEUS no coração.

Clamemos ao DEUS Altíssimo para que haja confusão, desordem, falta de coesão, falta de liderança no arraial do inimigo. Que sejam destruídos os inimigos que têm controlado essas vidas e sejam libertas, para a glória de DEUS PAI, porque Seu genuíno desejo é que ‘todos os homens se arrependam e cheguem ao lugar de conhecimento da verdade’ (1 Timóteo 2.4). Que os inimigos de Israel sejam humilhados e confundidos, em Nome do SENHOR JESUS. Que o SENHOR, em Sua onisciência, poupe àqueles que hão de ser salvos, para que o Seu Nome seja glorificado.

Nesses dias de quebrantamento, reconheçam os judeus que ainda estão no cativeiro das nações, que estão fora dos propósitos de YAHVEH. Reconheçam que estão aquém de Suas expectativas e longe de Sua ordenança para que retornem (mais de 159 vezes a Palavra aponta para a aliyah). Que entendam que estão desprezando o presente que YAH lhes deu, a terra e a liberdade. Que escutem a trombeta de Yovel (Jubileu) soando diariamente, para que regressem, não só à terra de seus antepassados, mas ao DEUS de Avraham, DEUS de Itschaq e DEUS de Israel.

Conselho de Segurança da ONU

Depois que uma licitação é feita àquele órgão, em geral, deliberam por no máximo 35 dias. Entretanto, nessa questão do reconhecimento unilateral de um estado árabe em terras de Israel pode ser que demorem mais tempo. Isso não é bom, porque as nações podem usar desse expediente para pressionar Israel e forçá-la às mais absurdas concessões, exigindo sua sujeição a todas as insanas exigências de abbas e dos árabes que vivem em Israel.

O Quarteto (UE, EUA, Rússia e ONU) estipularam um organograma para as conversações: em duas semanas, o reencontro para conversações entre as duas partes e colocação de seus conflitos. Em três meses, até o final de dezembro, assinatura de acordos. Netanyahu assentiu à proposta, conclamando abbas à conversação imediata, sem pré-condições. abbas, por sua vez, estabeleceu pré-condições: congelamento de todas as construções em Jerusalém (inclusive de áreas que eles dizem pertencer aos árabes), um estado baseado nas fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, de 1967 e o regresso de todos os ‘refugiados’ para o território de Israel (filho de belial, raça de víboras…).

Um membro do comitê central do Fatah, abbas zaki, cujo líder é abbas, em entrevista, na semana passada, a um jornal local, referiu-se a Netanyahu e a obama como ‘pessoas desprezíveis’, enquanto explicava o que aconteceria a Israel ao deixar Judéia e Samaria: significaria sua perdição. Qualquer acordo entre Israel e os árabes teria como base as fronteiras de 04 de junho de 1967… ‘todos sabem que o grande objetivo não pode ser obtida de uma vez’. Em várias ocasiões deixaram claro qual é o ‘grande objetivo’: a progressiva eliminação do Estado de Israel.

Durante essa entrevista, tal membro teria declarado que: ‘se Israel sair de Jerusalém, evacuando 650.000 colonos, e desmantelando os muros, o que acontecerá a Israel? Será seu fim!’, predisse zaki… ‘Se dissermos que queremos destruir (anular, apagar) Israel… é muito difícil. Não é política aceitável. Não diga essas coisas ao mundo. Guarde-a consigo’.

Clamemos pelo espírito de sabedoria e discernimento da parte dos líderes em Israel e da capacidade de dissuadir os líderes das outras nações por meio da verdade. Que o coração e intenções da liderança árabe sejam expostos e, diante de tantas provas de corrupção e desejo de destruir Israel, seja impossível que líderes das nações não se voltem para apoiar Israel.

Caia o véu da cegueira espiritual do meio da noiva do Cordeiro que se tem corrompido pelo espírito humanista e tem deixado a Palavra de YHVH para ‘valorizar o homem’ (‘honraram e serviram mais a criatura do que o Criador… e DEUS os abandonou às paixões infames…’ – Romanos 1. 21-26)

Que a deliberação seja baseada na Verdade e não nas mentiras apresentadas por abbas, em Nome de JESUS. Que a discussão não se prolongue além dos 35 dias de praxe.

Clamemos pela segurança em Israel, para que povo e FDI tenham olhos de águia e estejam em alerta a todo e qualquer tipo de perigo. O SENHOR levante espias e informantes no meio dos inimigos, para delatar as intrigas contra Israel. O SENHOR posicione Seus Exércitos para defender Seu povo e Sua terra de Israel, em Nome de JESUS. Sejam as fronteiras povoadas com anjos guerreiros e valentes como os valentes de David.

Por fim e não menos importante, clamemos pela vida do Pr Youcef Nadarkhani, iraniano, preso em 2009 quando tentava registrar sua congregação de 400 membros como fazendo parte da Igreja no Irã. Foi acusado de apostatar do islamismo (de acordo com a lei, não há necessidade de professar a crença no islamismo; basta que um dos pais seja muçulmano e a criança cresça no ensino do islamismo) e condenado à morte. Entretanto, sempre é dado um período de prova para que o acusado renegue a fé atual, o que tem sido infrutífero (louvado seja YAH!) no caso do pastor, que se recusa a renegar a CRISTO. Ainda que na última semana, tenha sido levado ao confronto dos juízes e ameaçado de morte se não rejeitasse sua atual crença, ele permaneceu firme em suas convicções cristãs.

Como esse caso tem gerado protesto internacional, a agência semi-oficial de notícias do Irã divulgou que as acusações contra o pastor são estupro, extorsão, sionismo e ameaça à segurança nacional, declarando que a mídia internacional distorceu as acusações originais para prejudicar a imagem do Irã internacionalmente… Misericórdia: quanta mentira, quanto absurdo, quanta falta de senso e vergonha na cara…

Estupro e sionismo são puníveis com a morte no Irã, que está arrumando uma desculpa para assassinar um cristão.

Clamemos por sua vida, para que o SENHOR o sustente, conforte-o, ensine-o e fortaleça-o a não negar-LHE (‘eles o venceram pelo sangue do Cordeiro, e pela Palavra do seu testemunho; e não amaram a vida até a morte’). Que o SENHOR o encha de Sua paz, diariamente. Encontre ele graça diante de seus algozes e o Evangelho no presídio se espalhe como a chama em um incêndio de inflamáveis! Que o seu testemunho sirva de encorajamento à Igreja no Irã e nos nossos países, para vivermos o Evangelho genuíno!

Que YHVH te abençoe e te guarde. QueYHVH faça resplandecer Seu maravilhoso rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti. Que o SENHOR sobre ti levante Seu tremendo e glorioso rosto e te dê shalom, para a glória e a honra de Seu Nome.

Chag sameach,

com amor e gratidão,

marciah malkah

Jessica Mendonça (159 Posts)


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio