O amigo mostra compaixão – Parte 1 – 26/08/2011


Ao que está aflito devia o amigo mostrar compaixão, ainda ao que deixasse o temor do Todo-Poderoso.” Jó 6.14
De um amigo se espera compreensão, compaixão e um ombro amigo.
As palavras citadas acima por Jó, uma das pessoas que passaram por sofrimentos que muitos de nós não suportariam, são muito fortes.
Vejamos as atitudes dos amigos de Jó:
Primeiro, ao saberem da situação de perdas do amigo, foram visitá-lo, até aí Maravilha! Depois, ficaram sete dias em silêncio, neste caso, talvez fosse melhor que falassem palavras de esperança ao sofredor ou que orassem ao Senhor por ele.
Depois dos sete dias de silêncio, começaram a falar com Jó. O problema é que a ótica deles era descobrir o que Jó tinha feito de errado para merecer aquele sofrimento. É a lógica humana sem compaixão e sem amor. Lembremos que no final do livro de Jó, os seus amigos foram reprovados por Deus.
O mandamento de Jesus para nós é: amar até os nossos inimigos. Bem, mostrar compaixão é um dos atributos do amor. Jó disse que mesmo aquele que está desviado do Todo-Poderoso, deve ser tratado com compaixão.
A pergunta é: até onde vai o nosso amor pelos amigos? Até onde vai o nosso amor pelos nossos familiares ou pelos irmãos da igreja? Até onde vai o nosso amor pelos desviados e perdidos? Responda para você mesmo.
Em Provérbios 17.7 está escrito: “Em todo o tempo ama o amigo; e na angústia nasce o irmão.”Que na sua família e na convivência na Igreja de Jesus, aprendamos a amar, demonstrando compaixão, compreensão, afeto e bondade.
Demonstrar compaixão significa concordar com os erros? Não. Podemos sim exortar uns aos outros com todo amor, mas sem esquecer que todos nós somos pecadores e carecemos da Graça e do Perdão do Senhor!
Amemos uns aos outros, Pra. Régina de Oliveira

Jessica Mendonça (159 Posts)


Copyright © 2010 Igreja Batista Jesus é a Vida.

Produzido por tendaestudio